Blogs

Galo campeão: uma virada épica para aliviar 50 anos de espera

Cinco minutos foram necessários, com um gol de Hulk e dois golaços de Keno, para deixar para trás cinco décadas de sofrimento e ansiedade: o Galo é o campeão brasileiro de 2021!

Por Vitor Sérgio Rodrigues

Hulk e Keno fizeram os gols na épica virada sobre o Bahia, que garantiu o título do Brasileirão

Hulk e Keno fizeram os gols na épica virada sobre o Bahia, que garantiu o título do Brasileirão

Um grito entalado na garganta de várias gerações de apaixonados explodiu de forma emocionante na noite desta quinta-feira: o Atlético Mineiro está no topo do futebol brasileiro! Uma espera de 50 anos foi aliviada de uma forma gigante, com uma estonteante virada em cima do Bahia, 3 a 2, após levar 2 a 0 na volta para o segundo tempo. Cinco minutos foram necessários, com um gol de Hulk e dois golaços de Keno, para deixar para trás cinco décadas de sofrimento e ansiedade: o Galo é o campeão brasileiro de 2021!

Uma conquista de um clube que foi apontado como favorito desde o começo, turbinado pelos investimentos de torcedores milionários para montar um timaço, mas que se portou como tal. Jogou como protagonista, teve volume de jogo de quem sabe a responsabilidade em seus ombros e conseguiu aliviar a pressão em momentos complicados. Desde o início, com uma derrota merecida para o Fortaleza, na primeira rodada. Para assimilar, resolver seus problemas e acelerar. Depois das derrotas para Ceará e Santos, sexta e sétima rodadas, no fim de junho, o Galo não perdeu mais duas vezes seguidas. Aliás, o Atlético só não venceu uma partida por dois jogos seguidas, dois empates, contra Fluminense e Red Bull Bragantino, no fim de agosto.

Com essa consistência em vencer, o Galo não permitiu que Flamengo e Palmeiras tivessem fôlego para correr atrás do título. Fruto da força mental que esse grupo mostrou, lutando até contra alguns fantasmas internos do clube, que nesses 50 anos esteve tão perto do título várias vezes mas não conseguiu concretizar, por vários motivos. O Galo não deu chance para a falta de sorte, não deu chance para a fase ruim, não deu chance para uma possível ressaca após a traumática eliminação da Libertadores. Por isso comemora o bicampeonato brasileiro (as piadas precisarão ser atualizadas...).

Mérito gigante de Cuca, que mostrou uma evolução ao lidar com o equilíbrio emocional, dele e do grupo, para montar um time com volume de jogo, imposição e que soube explorar as melhores características dos seus jogadores. Vários jogaram muito ao longo do torneio: Éverson, Júnior Alonso, Nathan Silva (em boa parte do torneio), Arana (espetacular), Allan, Jair, Nacho, Zaracho, Keno, Sacha (importante em vários momentos vindo do banco), Diego Costa... Mas ninguém foi melhor que o melhor jogador do futebol brasileiro na temporada, Hulk. Chegou e, bem pertinho, mostrou que sempre foi um grande jogador. É o rosto do Galo forte e vingador. E campeão!

Comentários