Blogs

No Brasileirão maluco, fazer o simples é ouro. O Inter que o diga!

Abel Braga vai no básico e aproveita instabilidade dos adversários diretos para colocar o Internacional na briga real pelo título da Série A

Por Bruno Formiga

No Brasileirão maluco, fazer o simples é ouro. O Inter que o diga!

No Brasileirão maluco, fazer o simples é ouro. O Inter que o diga!

Pode parecer antipático começar assim um texto sobre o vice-líder do Brasileirão, mas lá vai:  O Internacional de Abel Braga não é um time encantador e cheio de riquezas táticas. Faz o básico. E o suficiente.

Deixando claro. Há muito mérito do treinador nisso, tá? Abel teve um início complicado e engoliu eliminações, tropeços e queda de rendimento. A comparação com Coudet era inevitável. O Inter do Argentino era intenso, com variações e gostava da bola. Foi por um bom tempo líder do campeonato jogando um futebol bom de ver.

Abel Braga já chegou desgastado por causa dos trabalhos recentes. E sabendo que tinha o desafio de herdar um trabalho que estava dando resultado com desempenho.

Em tempo. Tirando as críticas mais desrespeitosas, a análise em cima de Abel Braga me parecia justa. Ele vinha apresentando poucas soluções e muitas dificuldades. Mesmo com tantos títulos, a fase não era boa mesmo. Ponto 

Ele sabia que não seria fácil.

 E Abel foi pelo caminho simples, convervador. Desceu as linhas de marcação do Internacional e tornou o time mais reativo, mais vertical. Passou a usar características físicas do seu elenco que pareciam adormecidas. E com essa tática nomes como Patrik, Edenílson, Rodinei e Moisés voltaram ou passaram a ser importantes. 

Hoje, o Inter depende menos de Thiago Galhardo. Distribui melhor as responsabilidades de decidir (tanto que Yuri Alberto é o artilheiro da nova era Abel Braga) e está mais seguro na defesa. Um time compacto, que sai na boa e não faz questão de se impor com a posse de bola. 

Some-se a isso um campeonato em que a turma que estava à frente do Inter escorregou, falhou, perdeu gordura. Esse cenário recolocou o time na briga. E recolocou de vez!

No momento agudo do Brasileirão, o Internacional tem errado menos que os outros.

E ai está a grande arma colorada para tentar ganhar o título.   

Comentários