Blogs

O Neymar "de verdade" apareceu

Entrevista do brasileiro logo após a vitória do PSG sobre o United mostrou um jogador com mais consciência do papel que pode exercer com os companheiros e mais maduro e sincero nas respostas

Por Taynah Espinoza

"Eu não vim pro PSG pra jogar a Europa League", disse Neymar, num discurso que ele claramente usou pra motivar seus companheiros pra vencer o United(2020 Getty Images)

"Eu não vim pro PSG pra jogar a Europa League", disse Neymar, num discurso que ele claramente usou pra motivar seus companheiros pra vencer o United | 2020 Getty Images

Maduro, sincero e com noção do seu tamanho. Assim foi a entrevista de Neymar com o nosso correspondente Fred Caldeira depois da vitória do PSG em cima do Manchester United fora de casa. Parece que Neymar, enfim, tirou a armadura que muitas vezes vestia quando conversava com a imprensa. Ou até que tirou a fantasia que usava com respostas prontas e risinho fácil. E isso não é uma crítica.

Eu entendo perfeitamente as respostas prontas. Elas são o caminho mais fácil pra não falar nada polêmico, pra não virar manchete, pra seguir no padrão que a gente conhece dos jogadores de futebol. Entendo ainda mais quando isso vem de atletas jovens, que muitas vezes não tem maturidade ou grande opinião sobre determinados assuntos. É natural. Ou você vê as suas opiniões de anos atrás e continua com todas elas iguaizinhas?! Se continua, reveja seus conceitos.

Mas no caso de pessoas com mais repercussão, uma palavra falada fora do lugar pode durar anos. Por isso, entendo totalmente o discursinho pronto. Só que, óbvio, prefiro quem responda o que é perguntado, quem se posicione, quem diga “eu não vim pro PSG pra jogar Europa League”.

Essa foi uma das frases de Neymar na entrevista. Lendo assim, pode parecer um pouco soberbo. Mas na entrevista, você percebe o raciocínio de Neymar. Percebe também que ele usou esse tipo de discurso com os companheiros. Ou seja, entendeu o tamanho que tem. A referência técnica, ninguém nunca questionou sobre Neymar. O que muitos questionavam era a capacidade dele de influenciar os companheiros positivamente. Eu já não tenho mais essa dúvida.

Foi assim no Super Agosto, quando Ney chamou a responsabilidade, colocou o foco em si, mesmo sabendo do risco que corria. Mas ter aquele comportamento fazia o grupo acreditar ainda mais na possibilidade de vencer a Champions League pela primeira vez e isso ficava claro nas entrevistas dos colegas. Agora, ele cobra os companheiros dentro de campo e se posiciona na entrevista. Pede mais simplicidade, mais foco na parte tática e diz que também não é intocável e deve ser cobrado.

Esse é o Neymar da entrevista. Esse tem sido, cada vez mais, o Neymar dentro de campo. Ainda brincalhão, ainda ousado, ainda gostando do drible. Mas com mais noção do pacote completo que carrega, do papel importante que pode desempenhar. Isso só pode fazer bem a ele. E a nós, admiradores do craque que ele é.

Comentários