Blogs

Outra vez Flamengo

Renato começa a acertar a mão, e o Flamengo, o pé

Por Mauro Beting

Quando se tem Michael em nova fase (e Vitinho em fase diferente) saindo do banco para fazer a diferença no final de um jogo em que o placar foi bastante dilatado pelo sufoco que o Flamengo quis passar em Brasília, esse time vai longe. Mais para 2019 do que para 2020. Como começa melhor do que a encomenda Renato Portaluppi no banco rubro-negro em três jogos com 10 gols e três ótimas vitórias.

O Flamengo fez 1 a 0 com Rodrigo Caio aproveitando escanteio. E não fosse o goleiro Unsain, em 20 minutos o bicampeão brasileiro tinha como fazer o placar que acabou goleando no final. Mas Beccacece mexeu na boa equipe argentina, reforçou o sistema defensivo com Tripichio contra Turbo Henrique voando pela esquerda, e deu uma equilibradinha até ganhar um gol do ótimo Loaiza, no final do primeiro tempo. Ou, no caso, uma bobagem de Diego Alves, que abusou da saída curta e blasé e doou o gol ao time argentino.

A volta para a segunda etapa acabou sendo mais tensa para o favorito carioca. A bola saiu menos limpa de trás com Arão entre os dois zagueiros. A linha de marcação do clube argentino foi adiantada e as bolas foram recuperadas mais à frente. Pelotas paradas perigosas até Renato reagir e apostar em Michael. Mais confiante, ele pegou logo depois um sem-pulo difícil que explodiu no travessão e sobrou para Arrasca seguir seminal.

Becca abriu ainda mais o time e foi levando o terceiro (em falha do goleiro) e o quarto em bela jogada rubro-negra contra o sistema defensivo esgarçado.

Baita vitória do time com maior potencial técnico na Libertadores. Já com algumas ideias de Renato dando mais liberdade à turma da frente. Mas ainda muito cedo para cravar que esse é o time e esse é o jogo.

Mas que está mais próximo do potencial, não há como negar.

Comentários