Blogs

Para virar o jogo - Atlético Mineiro 1 x 2 Corinthians

Certos placares, mais do que os jogos e as atuações, podem virar um campeonato.

Por Mauro Beting

Fábip Santos e a lei dobrada do ex

Fábip Santos e a lei dobrada do ex

O que o Corinthians fez nos 10 minutos iniciais do ótimo clássico no Mineirão contra o supercampeão do Brasil, do Brasileirão e da Copa do Brasil foi muito mais do que faria ainda mais nos últimos 10 em Belo Horizonte: marcando à frente, invertendo bolas, sufocando a saída de jogo atleticana, jogando bonito e ousado, batendo em gol. Se ali o time de VP ganhasse o jogo que brilhantemente acabaria vencendo (contra o Galo interinizado) no final das contas que o deixaram na vice-liderança do turno, o placar seria mais justo com o que se viu nos outros 70 minutos.

O Atlético foi melhor. Ainda é melhor quando mais completo. Mas a chave virada depois do empate de Fábio Santos, no cruzamento de Fagner, e que acabaria abrindo espaço para o promissor Geovani ser derrubado no pênalti que só o VAR para enxergar o que já era claro no gramado para o árbitro, daria a vitória sensacional pelas circunstâncias. Não pela atuação paulista em uma casa dificílima para qualquer rival do Atlético. Ainda mais com o saudável retorno de Cuca, seu maior treinador, ao clube.

Vitor Pereira foi feliz nas mexidas para empatar e ganhar o clássico. Carlos Miguel foi muito bem na meta. Balbuena reestreou como se não tivesse deixado o clube em 2018. As ótimas opções de banco ajudam a encorpar o time como Yuri Alberto vai dar muito certo. O Corinthians segue muito vivo em todos os torneios. Em viés de alta. E com um potencial bastante interessante. Até por estar passando pelas durezas com placares melhores do que a encomenda e que o desempenho.

Algo que também custou o cargo ao Turco. Era para o Atlético estar jogando muito mais. Correndo muito mais. Desarmando muito mais. Criando muito mais. Ainda mais com os reforços de peso que deixam o elenco ainda melhor. E com a ótima atuação de Keno até quando ele e o Galo tiveram pernas - autor do golaço inicial.

 Com o inegável reforço de Cuca, o campeão brasileiro de 2021 segue forte e vingador. Mas o BR-22 ganhou de vez um time para ser muito respeitado. No torneio que promete ser dos mais disputados do século. Como mostra o vice líder que só acertou duas bolas para valer na meta de Everson.

Os dois gols da virada histórica.

Comentários