Blogs

Renato, sempre Grêmio, mesmo fora

Acabou o trabalho mais longevo no futebol brasileiro - desde setembro de 2016. Desgastado, sim. Mas histórico. Como Renato Gremista.

Por Mauro Beting

Bandeira e estátua gremista

Bandeira e estátua gremista

Nem Portaluppi que sempre será, nem Gaúcho que é tanto como virou também carioca. Renato Gremista me parece a melhor definição a respeito do maior ídolo do clube. De um dos melhores e mais vencedores treinadores tricolores. De um dos mais identificados ídolos de campo e de banco da história do futebol mundial.

Merece tudo por 1983 - e muito mais. Merece tudo por 2017 - e muito mais. Mas o torcedor também merecia um time mais titular e mais eficiente em todos os Brasileiros desde 2017. Um treinador mais atento e próximo nos últimos meses. Respostas não apenas para jogar para a torcida e jogar a torcida contra quem o enfrentava. Respostas além das platitudes e daquelas coisas que não mereciam mesmo ser levadas a sério pela persona personalíssima.

Renato estava desgastado e cansado. E ainda assim com potencial para fazer mais do que não conseguirá mais em 2021. Ele e seu sucessor. O Grêmio caiu inapelavelmente na fase anterior da Libertadores para um ótimo Independiente del Valle. Vencedor nos dois jogos com arbitragens discutíveis. Como mais um desempenho frágil no momento tão decisivo quanto tricolor quanto Renato.

Mas uma vez mais não foi nem sombra do que tem time, elenco, camisa e, sim, bastante investimento. Muito menos fumaça. E nem papo.

O Grêmio caiu feio. E Renato sai ainda pior logo depois de sinalizar que ficaria.

Não segue. E a vida segue. Nesta vida difícil imaginar história mais bonita que a dele. Complicado será para o seu sucessor. Mas desta vez parecia mesmo mais complicado continuar com ele depois do tropeço dolorido.

Eu defendia a permanência dele mesmo com muitos problemas nos últimos meses. Mas entendo que agora é a hora do choque. Da ruptura. Só que com aquele carinho e respeito que os grandes amores e as grandes conquistas sempre merecem.

Ele merece.

Comentários