Blogs

Saber perder - Maria Portela

A judoca brasileira foi prejudicada por decisão muito discutível da arbitragem

Por Mauro Beting

FOTO: SÉRGIO PEREZ

FOTO: SÉRGIO PEREZ

"O árbitro, se a gente não define, ele tem que definir. E quem tiver um pouco mais de iniciativa, vai levar. Não foi culpa dele. Eu tinha que ter sido mais agressiva, imposto mais o ritmo, por mais que não fosse efetiva, que foi o que ela fez e acabou levando. Agora quero ajudar a equipe para chegar no pódio. Sei que meu ponto é muito importante e o foco é esse, contribuir para que possamos evoluir na competição porque somos um time muito forte".

Maria Portela, para quem entende de judô, foi muito prejudicada na luta contra a russa Madina Taimazova. Um wazari não teria sido dado para a brasileira. A arbitragem teria sido (ou foi mesmo) horrorosa contra a judoca brasileira.

E o que disse a atleta?

O primeiro parágrafo deste texto.

Com uma correção, lisura, equilíbrio, ética, e respeito que eu adoraria ver no futebol. Onde até quando se tem razão em relação a um "erro" de arbitragem vira "assalto". E uma pressão descomunal. Uma choradeira até irresponsável. Danosa não só ao árbitro, também ao futebol como um todo.

Precisamos aprender a perder como Maria Portela. Mesmo com um erro que pareceu desumano.

Mais do que tudo: precisamos aprender a respeitar.

Comentários