Futebol Brasileiro

Após lua de mel no início do ano, São Paulo afasta torcedores e vê volta ao Morumbi ter baixa comercialização de ingressos

Partida contra o Santos marca o retorno do público ao Morumbi; 30% da capacidade do estádio pode ser utilizada

Por Priscila Senhorães

São Paulo não deve ter estádio lotado contra o Santos(Miguel Schincariol/Getty Images)

São Paulo não deve ter estádio lotado contra o Santos | Miguel Schincariol/Getty Images

Apesar da alta expectativa do torcedor e da diretoria do São Paulo em voltar a ver o Morumbi com público após mais de um ano e seis meses com restrições por conta da pandemia do coronavírus, o cenário da partida contra o Santos parece não corresponder até o momento.

Com 30% dos ingressos totais podendo ser comercializados, o que gira em torno de 20 mil torcedores, a partida contra o Santos na próxima quinta-feira (07), válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, não vem registrando um alto número de ingressos vendidos.

Com uma média móvel de mortes em consequência ao coronavírus ainda considerável no Brasil e na cidade de São Paulo, muitos torcedores, principalmente os que ainda não tomaram a segunda dose de suas vacinas, optaram por evitar a compra do ingresso no momento.

No entanto, por meio das redes sociais foi possível observar uma repercussão bastante negativa em relação à postura são-paulina diante deste retorno, principalmente se tratando dos preços. A fase do time, que não vence há seis rodadas no Brasileirão, também acabou afastando muitos torcedores que esperavam ansiosos pelo retorno do público.

"O time do Paulistão parece outro em comparação com o que vemos hoje. É um time sem brio, sem alma, sem garra, que não se importa com o resultado. A torcida fica incomodada, não tem como. Aí você abre as redes sociais, abre os sites e vê o clube em notícias policiais, afundado na lama em escândalos. O clube dá mostras de estar abandonado por quem comanda, e isso machuca demais a torcida, logo ela, que tanto fez e faz pelo clube nos últimos anos", conta Luís Guilherme Claro, que continua:

"Quando chega a hora do reencontro com a torcida o preço é salgado, R$ 110 nessa fase que estamos vivendo é muito pesado no bolso. Aí tem informações desencontradas, um check-in muito mal planejado. É um conjunto de fatores que atrapalham. E o preço nunca inclui só o ingresso, você paga muito mais, pois tem transporte, alimentação, se você for de carro tem que pagar estacionamento, etc." finalizou Luís, torcedor do São Paulo, em contato com a reportagem da TNT Sports.

Arley Silva Neto, outro torcedor são-paulino, conta sobre as mudanças de suas sensações desde que o novo programa de sócio torcedor foi anunciado:

"Quando o time ganhou o Paulista, quando voltou a mostrar garra e ímpeto, voltamos a ter um sentimento que havia se perdido, a sensação de 'ser enganado' parecia ter finalmente acabado. Foi uma ilusão sem tamanho, inimaginável. Eu como torcedor me vi quase na obrigação de assinar o Sócio Torcedor e me preparar pra volta ao Morumbi, mas aos poucos uma sensação ruim foi tomando conta. Na medida em que o mundo parecia caminhar a bons passos pra voltar à normalidade, o SPFC parecia voltar a ser o que tem sido há anos. Eu tentei defender equipe, comissão, diretoria e etc., mas a sensação é de ter sido traído. Não vou sair de Campinas, pra gastar uma grana suada, pra levar meu filho (nascido na pandemia) pela primeira vez ao estádio pra ouvir protesto na maior parte do tempo, porque provavelmente é isso que vai acontecer, pois a torcida voltou a viver sensações ruins e lua de mel parece que acabou", finalizou, também em contato com a reportagem.

Pedro Cavalcanti, outro torcedor que contatou a TNT Sports para comentar a repercussão que o preço dos ingressos teve nas redes sociais, também entende que a sensação que predomina é a de traição:

"A sensação que eu e que muitos são-paulinos tiveram é de traição. Muita gente comprou a ideia da nova gestão, pagando um valor alto pelo novo Sócio Torcedor mesmo durante a pandemia. Muita gente acreditou que o clube estava caminhando para uma mudança de cenário após o título. Muita gente esperou que a relação entre torcida e diretoria fosse ser uma relação de troca. Quando o clube anunciou o procedimento para a volta do público, com preços abusivos em um cenário de pandemia, o gosto foi amargo. É como se o clube tivesse, mais uma vez, virado as costas para o seu torcedor. Basicamente, prometeram que seria diferente e demonstraram que nada mudou", finalizou Pedro.

Adriano Calabria, por meio do Twitter, afirmou que a repercussão e adesão negativa é simples: "Fizeram de tudo para o torcedor não ir", afirmou. Na tabela de preços divulgada pelo clube, o ingresso mais barato para o torcedor comum (sem assinar o sócio torcedor), é de R$ 110 reais.

Em contato com diversos outros torcedores, é consenso que o processo de check-in, ainda que necessário para evitar a disseminação do coronavírus, foi comunicado de maneira confusa e burocrática. O horário também foi questionado. 

São Paulo e Santos se enfrentam nesta quinta-feira (07), no estádio do Morumbi, às 18h30 (de Brasília), pela 24ª rodada do Brasileirão. O Tricolor ocupa a 13ª posição na tabela de classificação, enquanto o Peixe se encontra em 16º, a primeira posição fora da zona de rebaixamento para a Série B.

Comentários