Futebol Brasileiro

CEO do Cruzeiro revela dificuldade para pagar dívidas que levaram a transfer ban

Paulo Assis relembrou da "situação complicada" vivida pela Raposa para poder contratar jogadores e reforçar o elenco para 2022, quando jogará a Série B pela terceira temporada consecutiva

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Cruzeiro precisa pagar dívida envolvendo De Arrascaeta e Riascos (atrás)(FLAVIO TAVARES/Gazeta Press)

Cruzeiro precisa pagar dívida envolvendo De Arrascaeta e Riascos (atrás) | FLAVIO TAVARES/Gazeta Press

O Cruzeiro precisará reforçar seu elenco caso queira sair da Série B em 2022, mas a situação financeira da equipe vem limitando o trabalho de sua diretoria de futebol. Com um transfer ban imposto pela Fifa por conta de duas dívidas que somam R$ 13 milhões, a Raposa está impossibilitada de sequer registrar novos contratos na entidade.

Em entrevista à 'TV Globo', o CEO cruzeirense, Paulo Assis, confirmou os esforços da direção, mas relembrou que a agremiação vem sofrendo com a falta de verba para viabilizar a quitação de R$ 7 milhões pela compra de De Arrascaeta, junto ao Defensor, do Uruguai, e de mais R$ 6 milhões por Duvier Riascos, junto ao Monarcas Morelia, do México.

A gente tem ciência da importância da quitação dessa dívida. Para a gente, agora, é difícil estabelecer um prazo, porque nossa situação financeira segue bastante complicada. É fundamental que nosso torcedor saiba da consciência da importância do assunto e temos trabalhado para resolver. Como os valores são muito altos, não é uma engenharia fácil de solucionar"


Em 2022, o Cruzeiro passará por sua terceira temporada seguida na Série B do Campeonato Brasileiro. Na atual, a equipe mineira correu o risco de cair para a Série C, mas já não tem mais chances matemáticas de ser rebaixado.

Comentários