Futebol Brasileiro

Caravana gratuita leva torcedores do Corinthians à final da Libertadores feminina

A organização é a primeira da história da torcida feito pela equipe do futebol feminino 

Avatar del

Por Ludmilla Florencio

Corinthians na semifinal da Libertadores, em ato antirracista(Imagem: Conmebol/Libertadores)

Corinthians na semifinal da Libertadores, em ato antirracista | Imagem: Conmebol/Libertadores

Neste domingo (21), o Corinthians decidirá a final da Copa Libertadores feminina de 2021. Em Montevidéu, no Estádio Gran Parque Central, o time do Parque São Jorge enfrentará o Santa Fé, às 20h, e terá grande apoio da torcida, que sairá do Brasil rumo ao país vizinho por meio de uma caravana. 

Estruturada de forma gratuita por uma das organizadas do time, a 'Caravana não Para' tem como objetivo demonstrar apoio às atletas para a conquista do tricampeonato Sul-Americano. É a primeira feita para apoiar a equipe em um torneio internacional.

De acordo com um dos organizadores, conhecido como Pardal, a proposta nasceu a partir do desempenho da equipe na competição e, também, pelo trabalho reconhecido como muito bonito que as jogadoras têm feito coma camisa Alvinegra. 

"A ideia é que a gente apoie o Corinthians em qualquer ocasião. Essa é a razão da nossa existência: fiscalizar e apoiar o Corinthians em qualquer ocasião e em qualquer esporte", destacou. 

A procura se tornou ainda maior após o caso de injúria racial sofrido na partida da semifinal da competição em que Adriana, atacante do Corinthians, foi chamada de macaca por uma das jogadoras do Nacional do Uruguai.

Segundo o organizador, nem eles estão sabendo explicar o quanto estão sendo procurados por interessados no trajeto ao país vizinho. "É um fenômeno", garantiu.

Para fazer parte, os interessados apresentaram o comprovante de vacinação completo e um teste PCR com resultado negativo para o coronavírus. 

O ônibus sairá nesta sexta-feira (19), às 23:59, com 41 pessoas. A previsão de chegada ao país vizinho é de, mais ou menos, 23 horas de viagem. Mas o organizador não estabelece um tempo previsto, já que "cada caravana é uma história".

Comentários