Futebol Brasileiro

Casagrande revela convite para treinar Corinthians e São Paulo

Hoje comentarista de TV, o ex-jogador revelou as propostas em texto no site 'ge' neste sábado (01)

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Walter Casagrande Júnior atuou em ambos os clubes na sua época de jogador(NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Walter Casagrande Júnior atuou em ambos os clubes na sua época de jogador | NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images

Walter Casagrande Júnior foi um dos grandes jogadores da história do futebol brasileiro e nunca se aventurou fora das quatro linhas como treinador. No entanto, o que poucos sabiam, era que ele já havia recebido convites para treinar os gigantes São Paulo e Corinthians.

Quer assistir a todos os jogos da Champions League e à maior cobertura do Campeonato Italiano? Então, clique aqui e assine o Estádio TNT Sports!
 

O próprio comentarista revelou o fato neste sábado (01), em texto no site 'ge'. No caso do Tricolor, ele só não assumiu pois não queria tomar o lugar de Oswaldo de Oliveira, então técnico da equipe no ano de 2003.

O São Paulo me procurou diretamente"

"O saudoso diretor Márcio Aranha me ligou e perguntou se eu aceitaria treinar o time. Naquele momento, Oswaldo de Oliveira ainda era o técnico e respondi que, enquanto ele estivesse no cargo, não aceitaria. Marquei um almoço com Oswaldo e abri o jogo sobre tudo o que estava acontecendo", diz Casagrande.

"O problema é que me envolvi emocionalmente com tudo isso. Falei para o diretor do São Paulo que se o treinador saísse eu aceitaria o convite. Tinha até data! No sábado, o time jogaria o clássico contra o Santos. A diretoria me disse que, se o Tricolor perdesse, Oswaldo seria demitido. Para minha sorte, a equipe venceu por 2 a 1 e tudo parou por ali", completou.

Já em relação ao Corinthians, clube do qual virou ídolo pelos serviços prestados entre os anos de 1980 e 1986, 'Casão' afirmou que os contatos vieram exatamente na mesma época, mas ele acabou não aceitando por conta da 'enrolação' da diretoria e por, segundo suas próprias palavras, não estar mais 'empolgado com a possibilidade'.

"Mas a realidade é que essa história toda me deixou muito empolgado. Fiquei ansioso, dormia mal esperando uma ligação de madrugada e percebi que aquilo não era para mim. Depois disso, nunca mais fui especulado para ser técnico. Mas quem sabe um dia eu ainda tenha essa experiência", finalizou.

Comentários