Futebol Brasileiro

Cléber Reis atribui passagem ruim no Santos à dívida com o Hamburgo: 'Me prejudicou'

Zagueiro só atuou dez partidas com a camisa do Santos desde que foi contratado e não deverá ser utilizado novamente em 2021

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Cléber Reis não deverá seguir no Santos em 2021(Ivan Storti/Santos FC)

Cléber Reis não deverá seguir no Santos em 2021 | Ivan Storti/Santos FC

O zagueiro Cléber Reis retornou ao Santos após um período ruim de empréstimo à Ponte Preta em 2020, quando atuou apenas cinco vezes num espaço de um ano. Sem estar nos planos do Peixe, o jogador de 30 anos se diz injustiçado no clube.

Quer assistir a jogos exclusivos do Brasileirão? Então, clique aqui e assine o Estádio TNT Sports!

Em entrevista ao site 'ge.com', o defensor desabafou e afirmou que sua passagem pelo Santos foi atrapalhada pela dívida do clube paulista com o Hamburgo, da Alemanha, time que o vendeu ao Brasil. O Alvinegro só pagou o débito no ano passado, apesar de ter sido contratado ainda no final de 2016. Isso fez com que o Peixe ficasse punido pela Fifa e não pudesse registrar novos jogadores.

"Infelizmente, não foi o que eu esperava. Desde que cheguei no Santos, me falaram uma coisa e quando cheguei foi outra. Não sei onde errei, o que eu fiz ou qual palavra que falei que ninguém gostou. Sempre todos os treinadores chegam com má impressão minha. O Santos acabou me frustrando muito. Tenho fé que vou conseguir recuperar meu espaço e receber oportunidades para mostrar meu trabalho", afirmou o zagueiro, que ainda teceu críticas ao modus operandi do Santos.

"Acho que deveriam ter um pouco mais de respeito e consideração por mim, mas se não tiveram eu tenho que lutar, buscar meu espaço e mostrar que tenho valor. Com o Santos ou sem o Santos. A gente fica triste, mas não vou ficar murmurando. As pessoas ficam falando em rescindir contrato e isso frustra o jogador. Não dão valor para ninguém. Isso já vem de berço no Santos. Não dá muito valor para quem eles contratam. Você chega no Santos para tampar caixão, porque o foco do Santos é a base. Não está errado, mas contratar e não dar o auxílio que o jogador precisa fica difícil", completou.

Com apenas dez partidas com a camisa do Santos no currículo, o defensor foi emprestado para Coritiba, Paraná, Oeste e Ponte Preta, sem se destacar em nenhum desses times. Ele tem contrato até janeiro de 2022.

 
Paulo Almeida brinca que Neymar seria reserva do Santos em 2002: 'Ia sentar'
Comentários