Futebol Brasileiro

Confira o posicionamento de alguns clubes da Série A do Brasileirão sobre a organização da Liga de Futebol do Brasil

Nesta terça-feira (15), 19 dos 20 clubes da Série A assinaram o documento que visa a criação de uma liga para organizar os próximos campeonatos brasileiros

Avatar del

Por Priscila Senhorães e Rodrigo Fragoso

Confira o posicionamento de alguns clubes da Série A do Brasileirão sobre a organização da Liga de Futebol do Brasil(Buda Mendes/Getty Images)

Confira o posicionamento de alguns clubes da Série A do Brasileirão sobre a organização da Liga de Futebol do Brasil | Buda Mendes/Getty Images

O futebol brasileiro teve uma notícia que pode mudar os ares e a autonomia dos clubes no Brasil. Nesta terça-feira (15), durante a manhã, 19 dos 20 clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro assinaram um documento que visa a criação de uma liga para organizar os próximos Campeonatos Brasileiros. O acordo é chamado de “Liga de Futebol do Brasil”.

Confira, abaixo, alguns posicionamentos e opiniões dos clubes da Série A que a TNT Sports teve acesso após apuração da reportagem.

Fortaleza - Declaração do Presidente Marcelo Paz

"Os clubes entenderam que precisavam assumir cada vez mais o protagonismo no futebol brasileiro, participando mais ativamente do processo de escolha do presidente e do vice da CBF, com votos igualitários entre federações e times da Série A e Série B. Além disso, a criação de uma liga tem o objetivo de maximizar receitas, ofertar um produto de maior qualidade e maiores vantagens comerciais. Se os alemães, espanhóis e italianos fazem isso, nós brasileiros também podemos fazer. Essa mudança também é positiva para a CBF, que terá um processo eleitoral mais democrático e participativo, com melhorias na Série A."

Internacional - Declaração do Presidente Alessandro Barcellos

"Tivemos uma reunião importante hoje na CBF com a presença dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, na qual informamos à direção da entidade decisões importantes que foram tomadas em conjunto. Entendendo não só o momento vivido pela CBF, mas o histórico de complicações, foi pleiteado um documento com uma mudança estatuária com a finalidade de aumentar o protagonismo dos clubes, alterando o peso dos votos em eleições e a composição dos clubes participantes. Avisamos também a CBF sobre a criação de uma liga para organizar o Brasileirão, que está sendo articulada junto com os clubes da Série B. O objetivo principal dessa liga é garantir novas receitas para que os clubes aumentem os seus recursos e tenham uma vida financeira mais saudável, com a possibilidade de organizar um calendário favorável aos interesses das instituições. Os clubes e presidentes se uniram, em um momento histórico, para retomar o que já ocorreu em outros momentos, agir para que o futebol brasileiro se organize melhor e construa um ambiente de governança, respostas rápidas e novas receitas, com um calendário adequado."

Juventude - Declaração do Presidente Walter Dal Zotto

"A formação da Liga é um momento histórico para o futebol brasileiro. Pela primeira vez vemos essa grande evolução, com os presidentes de todos os clubes demonstrando unidade em prol da criação de novo calendário, investimentos e receitas."

Palmeiras - Apuração da reportagem da TNT Sports

O Palmeiras não enxerga a carta como uma ruptura com a CBF ou busca pelo confronto, mas um passo para os clubes participarem mais das decisões de elaborações do calendário, administração dos recursos financeiros e participações igualitárias nas questões de votações.

São Paulo - Apuração da reportagem da TNT Sports

O São Paulo enxerga a reunião desta terça-feira como uma oportunidade única de organização dos próximos Campeonatos Brasileiros entre os clubes, tendo os mesmos como os grandes protagonistas de decisões e melhorias, principalmente o rendimento e o profissionalismo do futebol brasileiro, potencializando o produto e suas marcas, o calendário, que nos últimos anos acabou prejudicado, e as finanças da área.

O documento foi entregue à CBF no período da tarde. A entidade se manifestou sobre o movimento dos clubes de maneira oficial pelo seu site online: "A CBF informa que nesta terça-feira, 15, o Presidente em exercício, Antônio Carlos Nunes, Vice-presidentes, Secretário Geral e Diretores da entidade estiveram reunidos com os representantes dos clubes disputantes da Série A do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, os clubes apresentarem uma carta com solicitações coletivas, que serão objeto de análise interna por parte da CBF."

Apesar do movimento e da insatisfação dos clubes ter começado há tempos, a decisão foi alimentada ainda mais após as polêmicas envolvendo a CBF nas últimas semanas. A principal delas se dá por conta de uma denúncia de assédio sexual e moral contra o presidente da CBF, hoje afastado, Rogério Caboclo. 

O nome da Liga foi divulgado pelo presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, por meio de suas redes sociais. O único clube que não assinou o acordo foi o Sport, pois se encontra sem presidente em exercício desde a renúncia de Milton Bivar.

Eduardo Carlezzo, advogado especializado em direito desportivo, foi mais um a qual a TNT Sports obteve a opinião e o posicionamento diante do novo cenário que pode aparecer no futebol brasileiro para as próximas temporadas.

"O Brasil é o único país da elite do futebol mundial onde temos uma situação completamente anômala: os clubes, que são a essência do futebol, não tem nenhum poder na organização do futebol nacional. São reféns das decisões das federações. Isso tem que mudar e o dia de hoje pode ser o divisor de águas neste sentido, com um movimento coordenado e coeso para a criação de uma liga e uma maior participação nas decisões da CBF."

  • Campeonato Brasileiro
Comentários