Futebol Brasileiro

Copa América: situação de Rogério Caboclo liga alerta na Conmebol

Presidente Alejandro Domínguez está preocupado com bastidores da CBF; um dos vices da entidade brasileira é a favor do afastamento de Caboclo

Avatar del

Por Alexandre Praetzel, Aline Nastari, Monique Danello e Igor Affonso

Últimos dias têm sido cercados de polêmicas envolvendo Rogério Caboclo(Lucas Figueiredo/CBF)

Últimos dias têm sido cercados de polêmicas envolvendo Rogério Caboclo | Lucas Figueiredo/CBF

As polêmicas envolvendo Rogério Caboclo, presidente da CBF, já repercutem fortemente dentro da Conmebol. De acordo com apuração da TNT Sports, o presidente da entidade, Alejandro Domínguez, está preocupado com a situação de bastidores da CBF, uma vez que Caboclo foi uma figura central na negociação que trouxe a Copa América ao Brasil. 

No último sábado (05), um diretor da CBF enviou um e-mail pedindo o licenciamento do atual mandatário da presidência. A mensagem do diretor de governança e conformidade da CBF, André Megale, pede que Caboclo se licencie, por tempo indeterminado, para que possa focar em sua defesa da acusação de assédio moral e sexual contra uma funcionária da entidade.

Vice-presidente a favor de afastamento

Um dos vices-presidentes da CBF se mostrou a favor do afastamento de Rogério Caboclo da presidência. Apesar deste desejo, não é certo que outros vices da Confederação também concordem com o licenciamento requerido. Em contato com a reportagem da TNT Sports, este vice disse que irá à CBF nesta segunda (07) para entender de perto o que está acontecendo e também os desdobramentos de cada cenário. 

No Brasil, presidentes de clubes irão debater durante a semana os acontecimentos recentes e também a situação em torno da possibilidade de licenciamento de Caboclo. Um deles, em contato com a reportagem da TNT Sports, afirmou que ainda não houve uma conversa clara sobre o assunto, mas que já está na pauta dela acontecer nos próximos dias.

Licenciamento de Caboclo não depende somente da Comissão de Ética:

A possível saída de Rogério Caboclo, porém, não passa somente por uma determinação da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro. Uma decisão da mesma ainda teria que ser aprovada por três quartos da Assembléia Geral da CBF.

Comentários