Futebol Brasileiro

Corte de salários, sem demissões, prejuízo grande em receitas: o cenário do Santos em meio à pandemia

Peixe realizou corte no salário de todos os funcionários que recebem mais de R$ 6 mil para evitar demissões ou cortes de pagamentos de funcionários que recebem menos que esse valor

Avatar del

Por Victor Lopes, Ricardo Martins e Carlos Eduardo Alves

Corte de salários, sem demissões, prejuízo grande em receitas: o cenário do Santos em meio à pandemia(Ivan Storti/Santos FC)

Corte de salários, sem demissões, prejuízo grande em receitas: o cenário do Santos em meio à pandemia | Ivan Storti/Santos FC

Para a temporada 2020, o Santos não gastou com contratações, com exceção de Jesualdo Ferreria e sua comissão técnica. O lateral direito Madson e o atacante Raniel, chegaram ao clube por meio de trocas. A falta de investimento para essa temporada se deve pela ausência de dinheiro. Com a chegada da pandemia causada pelo novo coronavírus, o Santos viu sua receita, que já era menor que 2019, diminuir ainda mais. Uma série de medidas teve de ser tomada, afim de evitar uma crise financeira caótica no clube da baixada santista.

FÉRIAS PARA JOGADORES E FUNCIONÁRIOS

29 de Março: o Santos oficializou a concessão de férias de 20 dias para o elenco santista. Funcionários indicados por gerências e diretorias ao departamento de recursos humanos continuaram trabalhando de casa.

16 de Abril: Em nota oficial, diretoria santista concedeu mais 10 dias de férias.

*No Santos, o pagamento dos 20 dias de férias será antecipado para o mês de maio. O salário referente aos outros 10 dias restantes será pago até dezembro.

REDUÇÃO SALARIAL

Inicialmente o elenco santista recusou uma proposta feita pela diretoria do clube para reduzir os salários em 50%. Os atletas entraram em um consenso e aceitaram uma redução em 30%, afim de evitar demissões e ter o pagamento em dia para funcionários que recebem menos no clube da baixada santista. No Peixe, todos os funcionários que recebem menos de R$ 6 mil por mês não sofreram mudanças ou cortes no pagamento.

* Embora o acordo, em um primeiro momento, tenha sido fechado, o presidente José Carlos Peres segue na tentativa de novos acordos salariais.

Ivan Storti/Santos FC
O Santos não tem data definida para voltar aos treinos

MARKETING E PATROCÍNIOS

No que diz respeito a patrocínios, o Santos também sentiu impactos financeiros causados pela pandemia de Covid-19. O vínculo com um de seus grandes patrocinadores, o Grupo Algar, terminou no início de abril. Antes mesmo da paralisação do futebol, o Santos negociava com o grupo para renovação do contrato, mas não houve um acerto a tempo.

Outro patrocinador do clube santista resolveu suspender o contrato até o fim da quarentena. O Peixe segue, no momento, com outros cinco patrocinadores. Vale lembrar, que o Santos não tem um patrocínio master desde dezembro de 2018.

SAÚDE FINANCEIRA

O tamanho da preocupação financeira do Santos neste período de paralisação pode ser analisado pela previsão do presidente do Santos, que entende que o clube da Baixada Santista pode ter um prejuízo de 70% em suas receitas.

Para a temporada 2020, de acordo com relatório da empresa contratada para fazer a auditoria do balanço do Santos de 2019, o clube antecipou R$ 23,8 milhões de direitos de TV das competições desta temporada. No total, o Santos teria a receber aproximadamente 50,6 milhões de reais, ou seja, a antecipação é de quase 50% do valor que o clube tem garantido neste ano.

O Santos também enfrenta problemas na justiça. Em dezembro de 2016, o Peixe contratou o zagueiro Cleber Reis junto ao Hamburgo pelo valor de 2 milhões de euros (R$ 7,3 mi, à época). E não pagou. Esse valor subiu para € 4,2 milhões (R$ 22,1 mi), por conta da multa. A diretoria alvinegra conversa com o clube alemão para resolver a situação. O também zagueiro Felipe Aguilar é um dos nomes envolvidos em outro problema que o Santos enfrenta na justiça. O Atlético Nacional, clube que Felipe Aguilar defendia, diz que o Peixe deve duas parcelas de 387 mil dólares (R$ 2,1 mi), combinadas para dezembro de 2019 e março de 2020, e que não foram pagas.

Com relação a contratações, para 2020, o Peixe gastou apenas com a chegada de Jesualdo Ferreira, técnico do time. A comissão técnica do português recebe cerca de 700 mil reais mensais.

Divulgação
Vila Belmiro está à disposição da Prefeitura para ações no combate ao Covid-19

AÇÕES PARA AJUDAR NO COMBATE AO CORONAVIRUS

Posto de saúde: a Vila Belmiro está à disposição para ações de combate ao coronavírus, como uma campanha de vacinação (contra a gripe comum) "drive thru", para evitar aglomerações em postos de saúde.

Salão de mármore: o clube disse que o Salão de Mármore ficará disponível para uma eventual montagem de um hospital provisório.

VOLTA AOS TREINOS

O Santos não sinalizou nenhuma movimentação com relação a uma possível volta aos treinamentos. Os jogadores seguem trabalhando de maneira individual em suas respectivas casas.

COMPETIÇÕES EM DISPUTA

- Campeonato Paulista: suspenso por tempo indeterminado desde 12 de março. O Peixe é o líder do grupo A, com 15 pontos, estando perto de carimbar classificação para os mata-matas.

- Copa Libertadores: suspensa por tempo indeterminado desde 16 de março. O Santos também lidera seu grupo, com duas vitórias em dois jogos (contra Defensa y Justicia e Delfín).

- Copa do Brasil: suspensa desde 15 de março. O Peixe ainda não entrou em campo pela competição. Por disputar a Libertadores, entra automaticamente nas oitavas de final.

- Campeonato Brasileiro: seria iniciado no último fim de semana, mas segue sem data definida para seu começo.

 
Andreas Pereira explica paixão pelo Santos e diz: 'Vou chorar no dia em que jogar lá'
Comentários