Futebol Brasileiro

Em e-mail, diretor da CBF pede licenciamento de Caboclo da presidência da CBF

André Megale, diretor de governança e conformidade da CBF, enviou e-mail ao presidente e outros diretores da entidade

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Rogério Caboclo sofre pressão para deixar o comando da CBF(Lucas Figueiredo/CBF)

Rogério Caboclo sofre pressão para deixar o comando da CBF | Lucas Figueiredo/CBF

A situação de Rogério Caboclo na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) está cada vez mais complicada. Segundo apurou a reportagem da TNT Sports, o presidente e outros diretores da entidade receberem um e-mail pedindo a saída do mandatário.

A mensagem, enviada pelo diretor de governança e conformidade da CBF, André Megale, pede que Caboclo se licencie, por tempo determinado, de seu cargo para que possa focar em sua defesa em relação à acusação de assédio moral e sexual contra uma funcionária da entidade.

"Venho, pelo presente, recomendar que vossa senhoria se licencie do cargo de Presidente da CBF, por tempo determinado, de forma a melhor colaborar, nesse período, com a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro para a apuração dos fatos narrados na referida denúncia e comprovar sua inocência", diz trecho do  comunicado.

ENTENDA O CASO

Rogério Caboclo vem sofrendo nas últimas semanas uma forte pressão para deixar a presidência da CBF. Essa pressão aumentou após dois episódios. O primeiro foi o posicionamento do grupo da seleção brasileira contra a realização da Copa América no Brasil, inclusive com incômodo dos atletas com a presença do cartola no Beira-Rio, em partida contra o Equador.

O segundo, e mais grave, foi a denúncia de uma funcionária da CBF que alega ter sofrido assédios moral e sexual por parte de Rogério Caboclo.

Diante disso, Megale sugeriu que Caboclo - que não quer abrir mão de seu cargo em nenhuma circustância - se licencie e fica afastado do cargo por um período de tempo. 

Caso o presidente aceite a sugestão do diretor de governança e conformidade da CBF, Caboclo poderá escolher um dos oito vice-presidentes para governar a entidade no período de sua ausência, até que retorne ao cargo.

Se a situação de Caboclo chegar ao ponto de uma renúncia, quem assume é Coronel Nunes, vice-presidente, que terá um período de 30 dias para convocar uma nova eleição para a CBF, seguindo o estatuto da entidade.

LEIA, NA ÍNTEGRA, O E-MAIL ENVIADO A CABOCLO E DIRETORES DA CBF

No âmbito de minhas atribuições estatutárias como Diretor de Governança e Conformidade da CBF, e diante (i) da divulgação dada por terceiros da denúncia recebida na última sexta-feira e (ii) da seriedade e peculiaridade do conteúdo de referida denúncia,

Venho, pelo presente, recomendar que V.Sa. se licencie do cargo de Presidente da CBF, por tempo determinado, de forma a melhor colaborar, nesse período, com a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro para a apuração dos fatos narrados na referida denúncia e comprovar sua inocência.

Desta forma, V.Sa. poderá concentrar sua atenção na resolução dessa situação, que é o interesse de todos que construímos a atual gestão exitosa da CBF até o presente momento junto com V.Sa. preservando assim todos os envolvidos na denúncia e permitindo que a CBF possa continuar a desempenhar as suas atividades, em benefício de toda comunidade do futebol brasileiro.

Comentários