Futebol Brasileiro

EXCLUSIVO: Paulo Otávio, do Wolfsburg, quer fim da fama de 'baladeiro' de jogadores brasileiros: 'Passou da hora'

Lateral esquerdo também elogiou bastante o futebol brasileiro e a competitividade do Brasileirão

Por Gabriel Menezes

Paulo Otávio quer reverter estereótipo negativo sobre jogadores brasileiros(Getty Images)

Paulo Otávio quer reverter estereótipo negativo sobre jogadores brasileiros | Getty Images

Conhecido como o "país do futebol", o Brasil exporta centenas de talentos para o mundo inteiro há décadas. E os jogadores brasileiros são reconhecidos por seu talento natural ao redor do mundo. No entanto, ainda é comum ver referências aos atletas nacionais como "preguiçosos" e "baladeiros", um estereótipo que o lateral esquerdo Paulo Otávio, do Wolfsburg, rejeita totalmente. 

Em entrevista exclusiva à TNT Sports Brasil, o jogador afirmou que o futebol brasileiro precisa ser mais valorizado e que esse rótulo deveria ficar esquecido no passado.

"Já passou da hora do jogador brasileiro parar de ser rotulado como baladeiro, preguiçoso, que só quer fazer festa. Nós temos o melhor futebol do mundo e podemos ter os melhores treinadores do mundo. Acho que é só questão de mudar essa chavinha, abrir mais nosso horizonte e enxergar além do que é imposto pra nós."

Tem muito jogador inteligente, mas por receio, por medo de ser tachado como 'ah, ele quer ser muito intelectual, quer chamar atenção de outra maneira', ele acaba dando uma fala mais simples. A gente tem que passar disso aí e dar um passo maior para nosso futuro."

Além disso, Paulo Otávio, que deixou o Brasil muito cedo e fez sua carreira praticamente toda na Europa, também valorizou o Brasileirão, exaltando a competitividade do torneio e afirmando que tem vontade de voltar ao país.

"Para mim, independente deles [jogadores que voltaram recentemente, como Diego Costa, Hulk, Filipe Luís] terem voltado agora, eu sempre achei a liga brasileira muito forte. Se você parar para ver, todo ano a gente começa com aquela pergunta: 'Quem vai ser campeão?', e você não fala dois, três times, você fala dez. E chega no final, são seis brigando até a última rodada."

Se você vem para a equipe certa no Brasil e consegue atingir esse nível de competitividade, isso motiva qualquer um sim. Eu tenho sim vontade de jogar no Brasil, pelo fato de ser brasileiro e de não ter jogado aqui antes de sair."

E, pensando no seu retorno, o lateral ainda indicou que tem preferência por jogar no Corinthians, por ser o time de sua família, mas também teria um carinho por Santos ou São Paulo, dois rivais pelos quais familiares seus também torcem.

"O Corinthians seria o sonho de uma família inteira se realizando. Só minha avó por parte de mãe, que é santista, e meu avô por parte de mãe que é são-paulino... Então, acho que nesses três times [Corinthians, Santos e São Paulo], eu estaria realizando o sonho de alguém. Se viesse [uma proposta], eu olharia com muito carinho, porque é um sonho de família e de infância."

O defensor ainda afirmou que tem vontade de jogar pela seleção brasileira e cravou que esse é o sonho máximo de qualquer jogador de futebol. 

"Eu sonho sim com a seleção brasileira. Esse é um sonho de criança. Quem joga futebol e fala que não sonha com a seleção nacional está mentindo, tenho certeza que está mentindo. Não tem ápice maior do que defender seu país, estar entre selecionáveis do seu país, ser um dos 22 melhores jogadores de seu país ou estar entre os dois melhores da posição de seu país. Então eu sonho em jogar na Seleção Brasileira."

 
Melhores momentos - Uruguai 0x2 Brasil
Comentários