Futebol Brasileiro

Em reconstrução, André Argolo admite 'planejamento comprometido' durante paralisação do futebol

Para impedir prejuízos maiores, diretoria do Cruzeiro tem trabalhado para expor marcas de patrocinadores em suas redes sociais e em entrevistas dos atletas
 

Avatar del

Por Rodrigo Fragoso e Mauro Beting

André Argolo é diretor-executivo do Cruzeiro(Divulgação)

André Argolo é diretor-executivo do Cruzeiro | Divulgação

As contas do Cruzeiro não estavam fechando há temporadas. Como em muitos clubes e entidades brasileiras. Mas os resultados em campo driblavam os custos acima das receitas. 

A lista de despesas do cartão corporativo do clube usado pelo ex-presidente Wagner Pires de Sá até 2019 explica e explicita muita coisa que não daria mesmo certo na Toca da Raposa. Era questão de tempo que não era mais dinheiro. 

A meta não fechou no Brasileiro de 2019. A defesa foi vazada mais do que deveria. Os objetivos foram perdidos como os jogos. O time se perdeu. O elenco rachou. Três treinadores foram derrubados até cair o time pela primeira vez na história. A direção pedir as contas. A cota na Série B não pagar o básico. O clube precisar ser reinventado. 

André Argolo é o diretor-executivo do Cruzeiro. Chegou ao clube ainda em outubro de 2019 para apagar incêndios e combater a septicemia. Desde março de 2020 tem mais funções. É o responsável por virar esse jogo e revirar o clube de cabeça para cima. Argolo é economista de formação. Foi Secretário Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor e vice-presidente da AP-FUT (Autoridade Pública de Governança do Futebol), órgão do Ministério dos Esportes. 

Igor Sales/Cruzeiro
Cruzeiro está passando por um extenso corte de gastos

ESPORTE INTERATIVO - O Cruzeiro trabalha para cortar gastos desde o final de 2019. Readequação salarial, modificação do perfil do elenco, renegociação de dívidas, cota menor pela Série B... Antes da pandemia, o Cruzeiro atingiu ou esteve próximo de atingir o que planejou para o início da temporada no trabalho de reequilibrar as contas do clube?


ANDRÉ ARGOLO - O Cruzeiro atingiu praticamente tudo o que planejou, com uma gestão muito austera, cortando todos os custos possíveis. Nós estávamos com a folha de pagamento em dia, tínhamos negociado com nossos credores, e estávamos cumprindo com todas as nossas obrigações. O Cruzeiro realmente estava com seu planejamento em dia até que, como os demais clubes, foi surpreendido por essa pandemia e consequentemente teve uma perda significativa de suas fontes de receita, como bilheteria, teve a suspensão de contratos, cotas de TV, e com isso o planejamento ficou comprometido. 

EI - O Cruzeiro tem de lidar em 2020 com questões políticas, eleitorais e até de exclusão de membros do Conselho em meio à pandemia. Quanto isso tem prejudicado o dia a dia de planejamento do clube para esse momento de crise?


ANDRÉ ARGOLO - O nosso objetivo, enquanto direção, é nos distanciar o máximo possível dos assuntos políticos e não deixar que isso interfira nas ações do dia a dia. Sabemos que a política é algo intrínseco aos clubes de futebol, que isso pode causar danos, mas nós tentamos blindar a estrutura, para que não tenha muitos efeitos na administração. 

EI - O treinador Enderson Moreira quer trabalhar com um elenco menor do que o atual. Ao mesmo tempo, também quer qualificar esse elenco com reforços, como aconteceu na chegada de Régis. Em meio à paralisação, com a economia em choque, será possível reforçar o elenco e dispensar algumas peças que estão sob contrato?
ANDRÉ ARGOLO - Essa avaliação é muito mais técnica, voltada ao futebol. Tudo isso está sendo discutido pelo técnico Enderson Moreira, sua comissão e pelo diretor Ricardo Drubscky. E a alta administração tenta dar todo o suporte necessário, para que tenhamos o melhor elenco possível para o principal objetivo que temos, que é o retorno à Série A.

EI - Várias empresas estão renegociando contratos com seus parceiros. O futebol também vive esse drama. Os parceiros do Cruzeiro já abriram conversas para renegociar repasse de valores, datas ou até mesmo intenção de suspender contratos?

ANDRÉ ARGOLO - Sim. É um problema não só do Cruzeiro, mas de todos os clubes, que foram pegos de surpresa com essa pandemia. Nosso trabalho é tentar mitigar o máximo possível o efeito dessas renegociações, para que não gerem um prejuízo maior ainda. Os contratos que estão suspensos serão retomados e esse período será adicionado ao final. Estamos em um período de quarentena, sem a visibilidade tradicional com os jogos e a rotina normal do Cruzeiro, mas o clube tem procurado também alternativas junto aos seus patrocinadores e parceiros para que, mesmo neste período em que estamos vivendo as marcas tenham visibilidade, como nos conteúdos de rede social e entrevistas. Estamos tentando entender ainda mais a realidade de cada patrocinador, para juntos encontrarmos maneiras de atravessar esta fase.

Igor Sales/Cruzeiro
Cruzeiro voltará aos treinos, mas à distância

CRISE FINANCEIRA E REBAIXAMENTO FARÃO CRUZEIRO 'SOFRER MENOS' QUE RIVAIS

Fernando Ferreira, da Pluri Consultoria (especializada em esportes), entende que o rebaixamento fez o Cruzeiro fazer antes e também melhor a adequação financeira. "O clube já passou por um 'coronavírus' com a queda. Ele ajustou cortes de custos desde o final do ano. O Cruzeiro já tinha feito um ajuste dramático. Ele tinha uma perda de receita substancial prevista para 2020. É claro que ela vai aumentar. Um clube de futebol, normalmente, tem de 40 a 50% de suas despesas com elenco e comissão técnica. Não tem milagre para fazer as contas. A Pluri entende que o mercado brasileiro como um todo deve ter uma retração de receita de quase 1,3 bilhão de reais em 2020. Uma perda bilionária que vai fazer clubes perderem entre 10 a 60% da receita. Como o Cruzeiro já está fazendo esse ajuste financeiro, ele não sofrerá tanto. Mas vai ter perdas em receitas de bilheterias com portões fechados, sócio-torcedor que já vinha sendo afetado, e a venda de jogadores que vai ser muito mais difícil agora".

CLUBE VOLTOU AOS TREINOS, MAS À DISTÂNCIA

O Cruzeiro teve o período de férias sendo encerrado no último domingo (03) e já voltou aos treinos. Seguindo as recomendações dos órgãos da saúde, o clube realizará os treinamentos à distância.

Na segunda-feira (04), o grupo se reuniu - via videoconferência - com o técnico Enderson Moreira. A partir de terça (05), os atletas realizarão treinos físicos, em suas respecstivas residências, e todas as atividades terão o acompanhamento do preparador físico Edy Carlos.

 
Júlio Baptista revela vontade de treinar São Paulo e Cruzeiro no futuro
Comentários