Futebol Brasileiro

Felipão comentarista? Técnico revela o que espera da final da Libertadores, deixa palpite e analisa Abel e Renato Gaúcho

Técnico espera jogo com poucas chances, fala em Abel futuramente na Seleção Portuguesa e Renato futuramente como um dos maiores técnico do Brasil e talvez do mundo

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Rodrigo Fragoso em entrevista exclusiva com Felipão

Rodrigo Fragoso em entrevista exclusiva com Felipão

Campeão da Copa Libertadores da América por Grêmio em 1995 e Palmeiras em 1999, o técnico Luiz Felipe Scolari conhece bem a competição e, mais do que isso, tem inúmeras outras decisões disputadas na carreira. Tendo isso em vista, que tal saber o que o treinador pensa sobre a final da Copa Libertadores de 2021? 

Em entrevista à TNT Sports, Felipão comentou como imagina que o jogo será, falou sobre o futuro e o presente de Abel Ferreira e Renato Gaúcho, além de afirmar que o fato de duas finais de Libertadores seguidas entre clubes brasileiros só mostra que o futebol nacional não está tão mal quanto falam e em breve será protagonista novamente contra europeus. Confira o papo na íntegra!


Rodrigo Fragoso: Como está o coração do torcedor Felipão para a final da Libertadores?

Luiz Felipe Scolari: “Você me conhece! Meu coração é verde. Estarei vibrando, torcendo, sendo aquele técnico de longe, de fora. Estou vendo o Abel mexer com a equipe, jogar o futebol que sempre jogou, principalmente nas decisões, e estarei torcendo, como sempre fiz, pelo Palmeiras”.


Rodrigo Fragoso: O que esperar dessa final? Desse confronto de estilos entre os dois treinadores das equipes? Flamengo com um técnico de maior imposição, enquanto o Palmeiras com um treinador de maior adaptação, não é?

Luiz Felipe Scolari: Observem os últimos sete, oito, até dez jogos do Flamengo com o Renato, hein! O Renato tem a equipe dele com imposição, mas está sabendo colocar uma situação defensiva muito boa. Está colocando uma situação de saber ser atacado e contra-atacar rapidamente com muita qualidade. A equipe do Flamengo será muito mais difícil para o Palmeiras do que seria dois meses atrás. Acho eu, no jogo de hoje, o Flamengo pelas qualidades que tem do meio pra frente, com imposição técnica e com qualidade espetacular dos jogadores, vai tentar se impor e isso também está dentro das características que o Palmeiras gosta de jogar. Não era só comigo, no meu tempo, mas com o Abel também: fechadinho, organizado. Será um jogo tático bem equilibrado e aí a equipe que fizer o primeiro gol poderá ser um gol decisivo dessa partida, porque não teremos tantas oportunidades. Mas se o jogo fosse há dois meses, eu diria que o Palmeiras estaria em melhor situação. Hoje o jogo está mais equilibrado porque o Flamengo aprendeu a ser um pouco defensivo, se organizar pra sair também em contra-ataque, que não era uma condição antes, era mais toque de bola.


Rodrigo Fragoso: Há quem diga que Renato Gaúcho é um técnico que não treina seu ataque, que deixa para a individualidade resolver. Você enxerga desta forma?

Luiz Felipe Scolari: “Eu penso diferente. Até conversava em casa aqui ontem sobre o Renato. Ele é um treinador que pode ser diferenciado pelo estilo que leva a vida, mas trabalha muito bem. E ele sabe se cercar de pessoas ao seu redor que trabalham muito bem algumas questões, deixando mais as pessoas trabalharem e ele dirige a parte pessoal de um grupo. Mas essa história de dizer que ele não se preocupa com parte da frente, situações defensivas, não é verdade. Ele está sempre preocupado e uma ou outra situação ele divide mais com os assistentes, mas está sempre antenado. Renato já está numa situação espetacular dentro do Brasil, muito boa e futuramente será um dos nossos melhores técnicos em termos de Brasil e não sei se em termos de mundo, porque a vida nos leva a várias situações. Eu gosto muito do estilo do Renato, claro uma coisa ou outra é diferente, porque são características pessoais, mas o estilo dele é muito bom e eu admiro muito o Renato.”


Rodrigo Fragoso: E o Abel Ferreira? É técnico para a primeira prateleira do futebol europeu, por exemplo? Você enxerga algo de Felipão no Abel?

Luiz Felipe Scolari: É! E ele deu o primeiro salto em Portugal, saiu pra Grécia e veio para o Palmeiras numa situação extremamente diferente do que ele imaginava e do que o Palmeiras também imaginava, mas deu muito certo da forma como ele age com o Palmeiras. E eu enxergo um pouquinho de mim nele, sim, porque de vez em quando ele briga com todo mundo e tudo mais, assume posições e é isso que eu gosto no Abel. Acho que ele terá um futuro muito brilhante em termos de Europa, quando voltar, para trabalhar ou pela Seleção de seu país, que já pode ser uma situação futura, ou pelos clubes ao redor de Portugal, porque pode ser que ele não volte diretamente de Portugal, mas volta numa situação espetacular”.


Rodrigo Fragoso: O que significa para o futebol brasileiro duas finais seguidas de Libertadores envolvendo clubes do nosso país?

Luiz Felipe Scolari: “Eu acho que isso significa que não estamos tão mal assim quanto muitas pessoas tentam mostrar em programas, situações que nós ouvimos que nós não temos qualidade. Nós jogamos num estilo um pouquinho diferente do Europeu, mas estamos tendo qualidade e estamos acrescentando nos próximos dois, três, quatro, seis anos um sistema, uma adaptação dos jogadores a algumas coisas. E aí vamos voltar a ter aquele predomínio que nós tínhamos em Copas do Mundo, jogos em Mundiais de Clubes. Nós vamos voltar a ter também porque temos jovens treinadores crescendo como estamos vendo no Brasil e os sistemas no mundo todo se trabalha igualmente. O que temos que crescer e evoluir é a mentalidade do nosso atleta. Devemos ser mais profissionais em termos de atletas e aí equilibramos tudo que era equilibrado e nossa qualidade técnica superior será decisiva”.


Rodrigo Fragoso: Qual o palpite pra essa grande final, Felipão?

Luiz Felipe Scolari: “Acredite que possa ter duas, três chances cada time e aposto na organização defensiva muito boa que o Abel vai montar no Palmeiras, com Felipe Melo dando proteção, fazendo uma bola longa, e 1 a 0 pro Palmeiras”.

VEJA NA ÍNTEGRA:

 
Comentários