Futebol Brasileiro

Fernando explica motivo de não voltar ao Palmeiras e revela sonho de “mostrar o Fernando” para a torcida

Jogador atuou apenas duas vezes como profissional e estava no Shakhtar quando a guerra começou. Hoje é jogador do Red Bull Salzburg
 

Avatar del

Por Rodrigo Fragoso e Gabriel Bertoli

Fernando se transferiu para o Red Bull Salzburg no início de 2022(Divulgação/RB Salzburg)

Fernando se transferiu para o Red Bull Salzburg no início de 2022 | Divulgação/RB Salzburg

“Palmeirense doente”. Aos 23 anos, Fernando entrou em campo como profissional pelo Palmeiras apenas duas vezes, mas criou laços mais fortes do que muitos jogadores com dezenas de partidas vestindo a camisa do clube. Em um papo exclusivo com a TNT Sports, o atacante do Red Bull Salzburg explicou por qual motivo não voltou ao Palmeiras quando pertencia ao Shakhtar Donetsk e a guerra estourou na Ucrânia, revelou quase ter partido para a Itália e falou sobre uma aposta envolvendo a meta de gols para a temporada.

“Nós tivemos conversas com meus empresários, mas não teve um avanço grande. Claro que eu queria voltar, mas eu sentia que agora não era o momento. Como eu já estava vivendo uma fase boa aqui na Europa, as coisas estavam começando a fluir, eu falei não. Vou ficar na Europa um período, porque eu estava em fase de crescimento e agora estou amadurecendo. Quero jogar mais a Champions League. Depois quero voltar, como muitos jogadores fazem. Mostrar o que mostrei pouco, muito mais na base do que no profissional. Lá na frente, se tudo der certo, volto pra mostrar o Fernando pra torcida”.

Fernando ficou quatro meses treinando sem clube e foi muito questionado por isso, mas disse ter mantido a calma. Falava aos amigos que era preciso dar um passo de cada vez na carreira, sem ansiedade ou aflição por não estar jogando. Se desse cinco passos, por exemplo, poderia tropeçar. E enquanto ele pensava nesse próximo passo, sentia o calor da torcida do Palmeiras nas suas redes sociais.

Fernando foi formado nas categorias de base do Palmeiras | Divulgação/Palmeiras

“Sim! Sim!”, disse o Fernando em meio a sorrisos longos. “Eu não esperava, mas recebi muitas mensagens! “Volta pro Palmeiras”, “Volta logo, por favor!” e tal. Isso me deu uma alegria muito grande. Como eu não joguei no profissional, só de ter o reconhecimento da torcida, o carinho, isso me deu uma alegria muito grande. Que ‘da hora’! Fiquei feliz demais. Falo pra todo mundo que sou palmeirense doente. Sempre estou acompanhando, vendo os jogos, tem meus amigos que jogam lá, né? Gabriel Menino e Wesley! A gente ainda troca mensagem”.

A histórica e embrionária relação do Palmeiras com a Itália nada teve a ver com as negociações envolvendo eu futuro clube, mas por pouco Fernando não foi para na Atalanta. Enquanto as conversas aconteciam, os gestores da carreira do atacante o avisaram sobre o interesse do Red Bull Salzburg. E foi numa conversa com o técnico e um diretor da equipe que o atacante decidiu o seu destino.

“Tivemos uma conversa boa com a Atalanta. Os agentes deles foram lá no Brasil, nós conversamos e eu senti um interesse muito grande. Aí de repente o Red Bull Salzburg queria conversar. No dia que eu conversei com o diretor e com o treinador, eu senti neles uma confiança muito grande de dar um passo à frente. De evoluir. Por exemplo, não era algo como “você já vai chegar, tem que jogar e mostrar logo”. Senti da parte do Red Bull que era chegar, ir jogando e evoluindo aos poucos e isso é muito importante pra mim”.

Ainda que não fosse necessário chegar resolvendo no novo clube, Fernando fez a sua estreia na Bundesliga pelo Red Bull Salzburg com um gol e uma assistência. Um belo cartão de visita e um passo importantíssimo visando a meta de gols que foi colocada numa aposta com seu empresário!

Ao todo, Fernando somou 69 jogos com a camisa do Shaktar | Getty Images

“Eu tenho uma aposta muito boa com o meu empresário! Se eu ganhar, excelente. Mas se eu perder também… (risos) É um pouco dolorido. Se eu fizer 20 gols, eu ganho um relógio! Se eu não bater, eu tenho que dar esse relógio pra ele. Já comecei bem! Mas ainda não falei nada pra ele. Estou quietinho, não falei nada, vou esperar chegar mais perto da meta e aí vou mandar mensagem”.

Aos 23 anos, o ‘palmeirense doente’ Fernando sonha com a Seleção Brasileira, com gols, assistências e a Champions League. Já passou por cima de lesões, viroses, troca de clubes dentro da Europa e diferentes idiomas para se comunicar com os companheiros em campo e fora dele. Cada passinho da carreira vai sendo pensado pouco a pouco. Se a vida imita a arte e o futebol é uma delas, Fernando encara seu projeto de carreira como um atacante precisa encarar a jogada de um gol: com calma, sem ansiedade e pensando friamente cada próximo passo que vai dar.

Comentários