Futebol Brasileiro

Palmeiras é acionado na Fifa por cláusula em contrato de Viña

Clube paulista vai comprar mais 7,5% do passe do lateral, mas a solicitação do parcelamento, o que não agradou ao Nacional, do Uruguai

Avatar del

Por Rodrigo Fragoso e Dudu Alves

Matías Vinã em ação pelo Palmeiras na Recopa Sul-Americana de 2021(Cesar Greco/SE Palmeiras)

Matías Vinã em ação pelo Palmeiras na Recopa Sul-Americana de 2021 | Cesar Greco/SE Palmeiras

O Palmeiras foi acionado na Fifa pelo Nacional, do Uruguai, por conta de uma cláusula no contrato do lateral Matías Vinã. O acordo previa a compra de mais 7,5% dos direitos do jogador caso o atleta participasse de pelo menos 33 partidas oficiais no clube.

O Verdão comunicou ao clube uruguaio que iria comprar a porcentagem, mas solicitou o parcelamento do pagamento, preocupado com o fluxo de caixa. A atitude não agradou os dirigentes do Nacional, que reclamaram à Fifa e aguardam julgamento do caso. A informação foi inicialmente dada pelo 'Globo Esporte'.

De acordo com apuração da TNT Sports, a expectativa é que o julgamento do caso ocorra em junho, mas existe a possiblidade de uma antecipação acontecer. Não há o risco do Palmeiras ser impedido de registrar jogadores até o pleito ocorrer.

Caso a Fifa dê um parecer favorável ao Nacional, o Palmeiras terá duas possibilidades: realizar o pagamento integral em até 45 dias ou recorrer da decisão no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte, na gíria em francês), a mais alta corte esportiva.

Em caso de novo julgamento e condenação no TAS, o Palmeiras terá 45 dias para realizar o pagamento aos uruguaios. Caso não cumpra a sentença, o clube sofrerá um transfer ban, ficando impedido de registrar jogadores até o acerto total da dívida.

Comentários