Futebol Brasileiro

Presidente Rodolfo Landim, do Flamengo, comandará a CBF por 30 dias

Ele estará à frente do cargo temporário junto com o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos; a decisão foi tomada pela Justiça do Rio após anulação judicial da eleição do ex-presidente Rogério Caboclo

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo | Mateus Bonomi/AGIF

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo | Mateus Bonomi/AGIF

Nesta segunda-feira (26), a Justiça do Rio de Janeiro anulou a eleição que havia nomeado Rogério Caboclo como presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em 2018. Para comandar a entidade pelos próximos 30 dias, o juiz do processo escolheu os presidentes Rodolfo Landim, do Flamengo, e Reinaldo Carneiro Bastos, da Federação Paulista de Futebol.

Durante esse período, eles terão que convocar novas eleições e não poderão concorrer ao cargo. Ao explicar a escolha de Landim, o juiz explica que é por ele ser presidente de um clube com "expressiva torcida". 

Em 2017, os presidentes de federações alteraram o esquema de votação sem consultar os clubes da Série A, de modo que reduziram os pesos dos votos dos clubes. Por essa razão, a justiça determinou a invalidez das regras aprovadas pela Assembleia Geral da CBF. Consequentemente, a eleição de Caboclo também foi invalidada. 

Como forma de se defender, a CBF utiliza o argumento de que a ação sobre a mudança no esquema eleitoral foi feita em 2017 e a eleição ocorreu no ano seguinte. 

No início da noite desta segunda-feira (26), a FPF divulgou uma nota oficial dizendo que a decisão da Justiça do Rio de Janeiro vai ser analisada e, quando houver um resultado final, os presidentes da federação e do Flamengo se pronunciarão.

Confira abaixo:

"Os presidentes da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, e do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, informam que analisarão em conjunto com federações, clubes e advogados a decisão da Justiça do Rio de Janeiro que os nomeiam interventores da Confederação Brasileira de Futebol.

Tão logo tomem uma decisão, os presidentes da FPF e do Flamengo se manifestarão publicamente".

Comentários