Futebol Brasileiro

Presidente do Guarani garante que tentará anulação do jogo contra o Vila Nova

Bugre reclama do não funcionamento do VAR no empate em 2 a 2 com a equipe goiana

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Guarani terminou a partida com muitas reclamações contra a arbitragem(Heber Gomes/Gazeta Press)

Guarani terminou a partida com muitas reclamações contra a arbitragem | Heber Gomes/Gazeta Press

O presidente do Guarani, Ricardo Moisés, se pronunciou um dia após o empate da equipe, por 2 a 2, contra o Vila Nova, em partida válida pela 34ª rodada da Série B do Brasileirão. À ocasião, o Bugre teria marcado o terceiro gol de forma legal, com Lucão do Break, mas a arbitragem anulou por impedimento e, por conta do não funcionamento do VAR na partida, não voltou atrás.

Em entrevista coletiva dada nesta segunda-feira (8), Moisés garantiu que não medirá esforços para conseguir o anulamento do jogo, afirmando que não houve isonomia no caso da equipe do interior paulista.

O Guarani não medirá esforços para a anulação desse jogo. Já estamos entrando com medidas cabíveis junto ao STJD, comunicamos CBF e Federação Paulista. Dois minutos antes do início da partida, a arbitragem chamou capitães e treinadores, disseram que o VAR estava com problemas, mas que estavam tentando arrumar. Infelizmente, ontem, essa ferramenta fundamental para a isonomia do campeonato não funcionou", afirmou o presidente.

Com o resultado de empate, o Guarani ficou estacionado na sétima colocação da Série B, com 53 pontos ganhos, dois acima do Goiás, primeiro dentro do G-4 do torneio. Caso tivesse vencido a partida diante do Vila Nova, os bugrinos empatariam em pontos com os esmeraldinos, mas ainda ficariam em quinto por conta do saldo de gols.

Comentários