Futebol Brasileiro

Renato discorda de Lisca e afirma que futebol não deve parar em razão da Covid

Após goleada sobre o Brasil de Pelotas, na estreia do Gauchão, treinador rebateu declaração de Lisca, que pediu a paralisação do esporte em meio a tantas mortes pela doença no Brasil

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Renato durante goleada sobre o Brasil-RS(Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

Renato durante goleada sobre o Brasil-RS | Lucas Uebel / Grêmio FBPA

A noite de quarta (03) não foi marcada apenas por futebol. Opiniões distintas sobre uma possível paralisação do futebol chamaram a atenção em duas entrevistas de treinadores da Série A: Lisca e Renato Portaluppi. O primeiro não quer a continuidade da bola rolando, enquanto o segundo discorda do colega. 

Antes do seu América-MG vencer o Athletic Club, pelo Campeonato Mineiro, Lisca deu uma dura declaração sobre o momento da pandemia da Covid-19 no país e afirmou que era o momento de 'segurar vidas'. Em contrapartida, Renato, logo após o 4 a 1 sobre o Brasil-RS, opinou que o futebol é o ambiente 'mais seguro' que o país tem.

Eu adoro o Lisca, mas cada um tem sua opinião. Repito: o futebol é o lugar mais seguro, estamos trazendo um benefício pro povo. Isso traz um motivo a mais pro público ficar em casa, assistindo o jogo.

Confira as palavras de Lisca: 

"É quase inacreditável que saiu uma tabela da Copa do Brasil hoje com jogos dia 10, 17, e com 80 clubes que nós vamos levar jogadores com delegação de 30 pessoas pra um lado e pro outro do país. Nosso país parou, gente. Não temos lugar nos hospitais, eu estou perdendo amigos, amigos treinadores, gente. Não é hora mais, é hora de segurar a vida. Ah porque aqui no Mineiro é mais perto, mas vai pegar uma delegação do sul e levar pra Manaus. Como que vocês vão fazer isso? Presidente Caboclo, pelo amor de Deus! Juninho Paulis, Tite, Cléber Xavier, as autoridades. Nós estamos apavorados, pelo amor de Deus".

 
Borges relembra conselho para virar ídolo no Grêmio: dar um murro na cara de D'Alessandro
Comentários