Futebol Brasileiro

TV: Neymar pode esperar fim de contrato com o PSG para voltar ao Barcelona em 2022

Segundo o programa de TV espanhol 'El Chinguito', craque brasileiro teria paralisado as conversas pela renovação de vínculo com o PSG para voltar a atuar com Messi na Catalunha

Avatar del

Por TNT Sports

Neymar e Messi podem se reencontrar no Barça em 2022(Getty Images)

Neymar e Messi podem se reencontrar no Barça em 2022 | Getty Images

Os destinos tanto de Neymar quanto de Lionel Messi seguem desconhecidos para a próxima temporada, mas aqueles que querem voltar a ver os craques jogando juntos podem ficar esperançosos. Segundo informações dadas no programa de TV 'El Chiringuito', ambos podem se reencontrar em breve no Barcelona.

Quer assistir a todos os jogos da Champions League e à maior cobertura do Campeonato Italiano? Então, clique aqui e assine o Estádio TNT Sports!

Ainda de acordo com a atração espanhola, isso poderia ocorrer já no próximo ano, no meio de 2022, data do final do vínculo do craque brasileiro com o Paris Saint-Germain. Assim, ele voltaria de graça para o Camp Nou. Sabedor da possibilidade de permanência do argentino na Catalunha, Neymar teria, segundo as informações, paralisado suas conversas pela renovação de contrato com os franceses.

O camisa 10 possui um contrato praticamente encaminhado com o PSG até junho de 2026, com um substancial aumento salarial, além de bônus, para tentar persuadir o craque a seguir no Parque dos Príncipes. No entanto, ele ainda vislumbra voltar a atuar ao lado de Messi antes do fim da carreira do atacante canhoto.

O estafe de Neymar já teria contactado o novo presidente do Barcelona, Joan Laporta, se seu retorno seria viável. Caso a resposta seja 'não', o brasileiro fecharia sua renovação com o time de Paris.

Neymar atuou pelo Barcelona entre os anos de 2013 e 2017, tendo entrado em campo 186 vezes, com 105 gols marcados durante sua exitosa passagem pela Catalunha. Lá, ele conquistou, dentre outros troféus, o título da Uefa Champions League, em 2015.

 
Para De Jong, PSG sem Neymar é 'mais fácil' de ser enfrentado
Comentários