Imagem ilustrativa na TNT Sports

É agora que a história é escrita! Assista a TODOS os jogos do mata-mata da Champions League AO VIVO!

ASSINE JÁ
Futebol Brasileiro

'Temos provas 100% confirmadas de que o Palmeiras vem sendo beneficiado', diz Textor

Dono da SAF do Botafogo voltou a afirmar que o clube paulista foi beneficiado por esquema de manipulação de resultados

John Textor voltou a causar polêmica com suas declarações I Foto: Thiago Ribeiro
John Textor voltou a causar polêmica com suas declarações I Foto: Thiago Ribeiro

Por Redação da TNT Sports

O dono da SAF do Botafogo, John Textor, causou polêmica mais uma vez na tarde desta segunda-feira (01). Em entrevista ao 'Canal do Medeiros', o dirigente estadunidense voltou a revelar que teria provas de que o Palmeiras vem sendo beneficiado por um possível esquema de manipulação de resultados.

Temos provas pesadas, 100% confirmadas de que o Palmeiras vem sendo beneficiado por manipulação de resultados por pelo menos duas temporadas."

“Ano passado foi turbulento. Não vou deixar o que aconteceu ano passado passar batido. Estamos em uma nova temporada. (...) Desculpe se isso vai criar barulho, mas tenho provas, vou mandar aos procuradores. Estou aqui para defender a honra do meu clube. Posso prometer a vocês que ninguém vai mexer nas nossas partidas desse ano”, completou Textor.

Em março, Textor já havia feito essa revelação, mas não apresentou provas. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) votou por não suspender o CEO da SAF do Botafogo por ele não cumprir decisão que o obrigava a entregar provas de um suposto esquema de corrupção envolvendo árbitros.

Entenda o caso:

John Textor disse ter áudios que comprovam um esquema de corrupção na arbitragem do futebol brasileiro. Ele publicou, no dia 9 de março, um longo vídeo, com duração de 13 minutos, e garantiu ter uma gravação de um árbitro admitindo a tentativa de manipulação.

A Anaf (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol), em nota oficial, rebateu as afirmações do norte-americano e classificou como "irresponsáveis e levianas" as acusações, além de afirmar que o dirigente abriu uma "guerra" contra a arbitragem brasileira.

Mais Vistas