Futebol Brasileiro

Thiago Silva faz revelação sobre Marquinhos e conclui: 'mereceu chegar onde chegou'

O zagueiro abriu o jogo em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (30): comentou sobre a expectativa das quartas de final, lembrou de momentos marcantes da carreira e também contou histórias que tem com outros jogadores

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Thiago Silva durante a coletiva desta quarta-feira (30) | Reprodução

Thiago Silva durante a coletiva desta quarta-feira (30) | Reprodução

Na tarde desta quarta-feira (30), o zagueiro e capitão da seleção brasileira, Thiago Silva, concedeu entrevista em coletiva de imprensa, na Granja Comary. Dentre os assuntos abordados, falou sobre a expectativa de enfrentar a seleção chilena pelas quartas de final da Copa América, relembrou episódios marcantes da própria carreira, como a lesão na final da Champions League deste ano, e rendeu alguns elogios a colegas de equipe, como Daniel Alves.

Sobre Marquinhos, Thiago contou uma história sobre a relação dos dois: 

"É um cara que me motivou muito. Vou até abrir uma situação que aconteceu assim que ele chegou no Paris. Conversando com a mãe dele, ela me disse que ele era muito fã. Ele virou pra mãe dele uma vez no Corinthians e falou que queria ser zagueiro, mas a mãe dele falou que como ele ia ser zagueiro com essa baixa estatura. Ele falou: mãe, mas o Thiago Silva não é grande e é um excelente zagueiro. Aquilo ali não tem dinheiro que pague, ser uma referência pra uma pessoa. Ele realizou o sonho de jogar comigo e eu também realizei o sonho de jogar com ele. Acho que ele não é o sucessor do Thiago Silva, mas ele é o Marquinhos que mereceu chegar onde chegou, por tudo que ele fez, acreditou que poderia chegar e chegou. Hoje quando você vê o Marquinhos jogando, é um cara que tem uma impulsão incrível. Ele já é referência para muitas pesoas, como fui pra ele. Motivo de muito orgulho jogar com um cara que me tem como ídolo e que hoje realiza o sonho dele também de jogar na seleção brasileira."

Sobre o episódio que marcou a carreira dele contra o Chile, em 2014, em que ele chorou:

''Eu acredito que o se emocionar você não se programa pra ele, você não se prepara. Fiquei muito marcado por esse episódio negativamente, mas eu na minha consciência estou super tranquilo em relação a isso, foi uma tristeza muito grande durante um período, mas serviu de aprendizado pra se preparar para os seguintes objetivos, jogos decisivos. O Chile com certeza é uma história bonita, porque embora tenha sido o episódio da emoção, foi um dia vitorioso para mim, pra seleção brasileira. Enfrentá-los novamente não quer dizer que é revanche, que vou pensar tudo aquilo que aconteceu, isso já ficou pra trás. Hoje tenho experiência um pouco maior e a gente sabe por quem chorar, por quem derramar lágrimas nesses momentos. Se tiver que acontecer, será naturalmente. Não tem nada forçado. Mas o mais importante é que continuo na seleção, motivado, com orgulho de estar aqui, isso é a coisa que mais importa nesse momento.''

Sobre a lesão na final da Champions League:

"É inevitável não pensar em Copa do Mundo, mas antes temos que pensar nas elimatórias. Quem me conhece sabe como eu trabalho, os sonhos que eu tenho. Conquistar a Champions foi um sonho maior e termos de clube, me preparei muito para esse momento, a alegria  de estar na seleção é muito forte. Contar uma pequena história do que aconteceu na final. Após a minha a lesão, coloquei a camisa na cabeça e passou um filme na cabeça. Mais uma final de Champions, a do ano passado eu perdi e esse ano estou saindo lesionado, com o jogo 0x0. Eu pedi a Deus que as coisas dessem certo naquele dia ali, e que a lesão não fosse grave e não me deixasse fora da seleção. Ao mesmo tempo que eu estava perdendo uma final de Champions, eu pensava que aquilo podia me deixar fora da seleção. Desde a minha apresentação aqui, eu sabia que não podia jogar os dois primeiros jogos. A comissão técnica tem grande participação nisso, porque acreditar num atleta da maneira como foi conduzida, pra mim é motivo de grande orgulho. A gente vem pensando em fazer o máximo por eles também, porque fora de campo são grandes seres humanos."

Sobre a convocação de Daniel Alves para as Olimpíadas:

''Eu ser conselheiro do Dani é meio difícil, somos muitos experientes, a gente troca figurinhas nesse aspecto. Dani é uma referência, mais vitorioso que ele impossível. Tenho certeza que ele vai liderar esse grupo como liderava o nosso também. Ele terá uma grande oportunidade, ele está sonhando com esse ouro, porque é um cara vencedor, quando ganha quer ganhar muito mais. Acho que o Dani teve uma parcela muito grande para que São Paulo voltasse a gahar título. A única sugestão que posso dar, é que ele aproveite esse momento.''

A Seleção Brasileira treina ainda nesta quarta-feira, às 15h30, na Granja Comary, em preparação para o confronto contra o Chile nesta sexta-feira (2), pelas quartas de final da Copa América.

Comentários