Futebol Brasileiro

Investigação conclui falsificação de 57 exames de Covid-19 pelo Mesquita, do Rio de Janeiro

Resultados de exames foram assinados por funcionária que faleceu em dezembro de 2020 

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Presidente, ex-presidente e gestor do clube podem ser condenados e excluídos do futebol por quatro anos(Foto: Marcelo Zambrana/AGIF)

Presidente, ex-presidente e gestor do clube podem ser condenados e excluídos do futebol por quatro anos | Foto: Marcelo Zambrana/AGIF

De acordo com a investigação do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), o Mesquita Futebol Clube falsificou 57 testes de Covid-19 durante a disputa da Série B2 do Campeonato Carioca de 2021, que terminou em fevereiro. 

As primeiras suspeitas da fraude surgiram no início de fevereiro de acordo com uma apuração da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Na investigação, a Polícia concluiu que os exames de um atleta e de um membro do staff do clube, foram assinados e carimbados por Rosângela Damasceno, coordenadora do Laboratório de Análises Clínicas da Unigranrio (Laborafe), que faleceu no dia 26 de dezembro de 2020. 

O atual presidente do clube, Ângelo Benachio, o ex-presidente, Cleber Louzada e o gestor Carlos Dias de Souza foram denunciados pela Procuradoria do Estado. Caso sejam condenados a pena máxima, os três podem ser suspensos do futebol por quatro anos e meio e pagar multa de R$ 200 mil. 

Na investigação, ficou concluído que o Mesquita apresentou à Federação dois lotes de exames falsos. O primeiro no dia 29 de dezembro e o segundo no dia 7 de janeiro. Supostamente, os testes teriam sido feitos antes das partidas contra o Barra da Tijuca e contra o Mageense, respectivamente. 

Comentários