Futebol Brasileiro

Vasco solicita à CBF que seja reconhecido como campeão intercontinental

Clube afirma que o Torneio Rivadávia Corrêa, vencido pelo Cruz-Maltino em 1953, organizado pela CDB, é semelhante ao atual Mundial de Clubes

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Vasco solicita à CBF que seja reconhecido como campeão intercontinental

Vasco solicita à CBF que seja reconhecido como campeão intercontinental

O Vasco enviou à CBF, um ofício solicitando que seja reconhecido como campeão intercontinental. O Cruz-Maltino afirma que o Torneio Rivadávia Corrêa, vencido pelo clube em 1953, é semelhante ao atual Mundial de Clubes.

O atual presidente Alexandre Campello, e o sucessor Jorge Salgado, foram até a CBF para reunião com Rogério Caboclo, mandatário da entidade. Neste encontro, o clube apresentou um ofício solicitando o reconhecimento do Torneio Rivadávia Corrêa, conquistado em 1953, e que era organizado pela CDB (antiga Confederação Brasileira de Desportos), como Torneio Intercontinental de Clubes.

O campeonato em questão sucedeu a Copa Rio, vencida por Palmeiras em 1951 e Fluminense em 1952, e contou com a participação de Botafogo, Fluminense, Corinthians, São Paulo, Olímpia (do Paraguai), Hibernian (da Escócia) e Sporting (de Portugal). O Cruz-Maltino avançou às semifinais vencendo os rivais cariocas e empatando com o Hibernian. Na semi, eliminou o Corinthians e, posteriormente bateu o São Paulo, na decisão.

Confira a nota oficial no site do clube:

O Club de Regatas Vasco da Gama, por meio do Presidente da Diretoria Administrativa, Alexandre Campello, e do Vice-Presidente de Relações Especializadas, João Ernesto Ferreira, encaminhou ofício à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) solicitando que a entidade promova encaminhamento à Fifa no sentido de reconhecer o Torneio Internacional Rivadávia Corrêa Meyer, de 1953, como Torneio Intercontinental de Clubes.

Disputado entre os dias 7 de junho e 4 de julho de 1953, o Torneio contou com a presença, além do Vasco da Gama, do Sporting Clube, de Portugal, do Hibernian, da Escócia, do Olímpia, do Paraguai, do Botafogo, do Fluminense, do Corinthians e do São Paulo.

Na ocasião, o Vasco da Gama sagrou-se campeão invicto, com seis vitórias e um empate, tendo ainda o artilheiro da competição, Pinga, com seis gols.

No ofício, o Clube destaca que “ (…) a Fifa é a responsável por competição (Mundial de Clubes) nos mesmos moldes das organizadas pela então CBD na década de 50, o que evidencia a necessidade de haver o reconhecimento histórico das atitudes do nosso futebol naqueles anos (…) ”.

– O sucesso da Copa do Mundo de 1950 lançou o Brasil no cenário mundial. E, na esteira daquele Mundial, foram organizados torneios internacionais envolvendo clubes de todo o mundo. Nosso Centro de Memória possui em seu acervo documentos, imagens, artigos, jornais da época, ingressos, divulgação midiática e até mesmo o Regulamento Oficial da disputa, material que comprova a dimensão e a importância do Torneio. Com todo a documentação, encaminhamos à CBF um ofício solicitando que ela encaminhasse à Fifa o nosso pleito – explicou João Ernesto.

Em visita à CBF na terça-feira (12/01) junto com o Presidente da Diretoria Administrativa, Alexandre Campello, e o Presidente eleito do Clube, Jorge Salgado, o próprio João Ernesto presentou o presidente da entidade máxima do futebol brasileiro, Rogério Caboclo, com o livro que conta a história da conquista cruzmaltina em 1953.

 
Nos pênaltis, Vasco elimina o Goiás na 3ª fase da Copa do Brasil
Comentários