Melhor Futebol do Mundo

Manchester City está disposto a quebrar recorde e pagar R$ 722 milhões por Kane

Oferta do Cityzens pode transformar atacante do Tottenham na contratação mais cara da história do clube 

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Harry Kane em ação pela Inglaterra na Euro 2020(Getty Images)

Harry Kane em ação pela Inglaterra na Euro 2020 | Getty Images

O atacante inglês Harry Kane é o principal nome na mesa dos dirigentes do Manchester City para reforçar o setor ofensivo da equipe para a próxima temporada. Disposto a contratar o jogador do Tottenham a qualquer custo, os Cityzens pretendem quebrar o seu próprio teto de transferências para trazer o centroavante para o Etihad Stadium.

Segundo o jornal britânico 'The Athletic', os dirigentes do clube estão dispostos a pagar cerca de 120 milhões de euros (R$ 722 milhões) para convencer os Spurs a liberarem o jogador. Caso haja um acordo, Harry Kane se tranformaria na contratação mais cara da história do City, ultrapassando Kevin de Bruyne, comprado em 2015 por 76 milhões de euros (R$ 304 milhões, na época). 

Apesar do alto valor, é possível que o Tottenham ainda não se dê por satisfeito na negociação. Daniel Levy, presidente dos Spurs, já deixou claro que não pretende abrir mão de seu principal atleta, mesmo com o desejo de Kane de deixar o clube londrino. Segundo o mandatário, o clube que quiser contratar o jogador precisaria desembolsar cerca de 170 milhões de euros, o equivalente a mais de R$ 1 bilhão.

Enquanto o Manchester City busca um substituto para o ataque, desde a saída de Sergio Agüero para o Barcelona, o Chelsea também se interessa por Kane para reforçar o setor ofensivo. O alemão Timo Werner tem deixado a desejar até aqui nos Blues, por isso, a vaga de referência no ataque segue aberta em Stamford Bridge.

Harry Kane está há oito temporadas no Tottenham. Aos 27 anos, o atacante segue mantendo uma regularidade nos Spurs e anotou na última temporada 33 gols em 49 partidas disputadas.

 
Harry Kane abre o placar para a Inglaterra contra a República Tcheca
Comentários