Melhor Futebol do Mundo

Renan Lodi quer jogar Copa América e Olimpíadas e revela aprendizagem 'ficando no banco' no caminho do primeiro título na Europa

Aos 23 anos, o lateral da seleção brasileira conquistou seu primeiro Campeonato Espanhol com o Atlético de Madrid

Por Tatiana Mantovani

Renan Lodi comemorando gol decisivo com o Atlético de Madrid(Atlético de Madrid)

Renan Lodi comemorando gol decisivo com o Atlético de Madrid | Atlético de Madrid

O sorriso no rosto ilustra a felicidade de Renan Lodi com seu primeiro título com o Atlético de Madrid. Levantar a taça de campeão espanhol é uma conquista que ele afirma que será a primeira de muitas: “Na minha segunda temporada aqui já ganhar um título... Tenho certeza de que meu nome vai estar sempre marcado aqui na história do clube”, revela em entrevista exclusiva à TNT Sports Brasil.

Renan Lodi celebrando o título de LaLiga. Crédito: Atlético de Madrid

Em sua segunda temporada no Atlético de Madrid, Renan Lodi viveu momentos complicados, mas que superou aprendendo a ser mais forte. Em 2019/20, recém chegado do Athletico Paranaense, Renan caiu nas graças de Simeone e foi o lateral esquerdo titular da equipe em praticamente toda a temporada. Disputou 86% dos jogos e foi titular em 90% das partidas nas quais esteve em campo. Porém, quando a nova temporada começou e Simeone mudou a forma da equipe jogar, Renan perdeu espaço. Nesta temporada, fez 10 jogos a menos que em seu primeiro ano e foi titular em apenas 40% das partidas. Em entrevista exclusiva à TNT Sports, ele explica que ter ficado no banco de reservas foi seu grande aprendizado na temporada.

“Você acorda, tranquilo, pensando que vai jogar. Chegar lá, aquecer e jogar, mas na minha situação não. Acorda, vai lá e fica no banco. Não é só jogar, não é só treinar no time titular. É você passar por isso também, de ficar no banco, entrar no decorrer do jogo. Entrar faltando 1, 2, 5 minutos. Tem um jogo contra o Salzburg que eu entrei faltando dois minutos e nestes dois minutos eu dei a vida, roubei duas ou três bolas ali e logo depois do jogo o Simeone me disse “Essa é a atitude que eu quero de você. Isso vai te deixar mais forte”. Eu coloquei isso na minha cabeça, são essas coisas que a gente tem que passar. Faz dois anos que eu estou aqui e no primeiro ano eu joguei tudo. No segundo ano, metade. Foi isso que ele fez eu passar que me deixou mais forte”.

Renan Lodi, que já falou mais de uma vez que Simeone é como um pai para ele, afirma que o técnico argentino o fez mais forte nesta temporada.

O Simeone, o que ele me fez passar, acredito que isso me deixou mais forte e mais confiante. Você viu que no segundo turno eu era outro Renan, estava mais confiante”, comentou.

Como o próprio jogador reconhece, a temporada não foi fácil: “A cabeça estava um pouco confusa, não por aqui, mas pela COVID-19 no Brasil. Eu estava preocupado com os meus avós, que já são de idade. Isso acabou me atrapalhando um pouco, não muito, mas martelava na minha cabeça. Eu acabei levando para dentro de campo, vamos ser sinceros, e isso acabou complicando um pouco”, afirma.

O momento de Renan Lodi chegou na hora certa. Na penúltima rodada de LaLiga, quando o Atlético de Madrid via a liderança e o título escaparem com a derrota que estava sofrendo para o Osasuna, tudo o que Lodi havia aprendido na temporada apareceu.

“Eu estava aquecendo e estava confiante que ia entrar no jogo. O mister tinha conversado antes e eu pensei 'vou preparar o máximo que eu vou entrar no jogo'. Falei para o Héctor que se desse, eu ia fazer um gol. Na hora que o João pegou a bola e me lançou, fiz esse gol. Tenho certeza de que se eu não fizesse esse gol, o Suárez ia me matar porque ele estava sozinho ali”, explicou sorrindo. Renan marcou o gol de empate do Atleti naquela partida, que acabou com vitória colchonera após o gol de Luis Suárez.

“Depois do jogo, comentando com os companheiros, ele falou para um dos fisioterapeutas e me falaram 'O Luis falou que se você não fizesse o gol ali, ia apanhar porque ele estava sozinho e tal'. Mas naquele momento eu estava tão confiante que falei 'vou chutar essa bola' e deu tudo certo, o gol saiu. Ele também fez o gol no final, então deu tudo certo. Foi bom pra todos nós”, finalizou outra vez com um sorriso no rosto.

Sobre jogar com o uruguaio, Lodi não esconde: “Para mim ele é um ídolo, um cara que ajuda no dia a dia, que está sempre batalhando e batalhando. Para nós ele é especial, um ídolo e um cara que eu sempre vou levar no meu coração. É uma honra muito grande jogar com o Luis”.

Com a taça em casa, Renan Lodi agora se prepara para defender a Seleção Brasileira. Ele foi convocado por Tite para as duas partidas das eliminatórias para a Copa do Mundo. O objetivo do jovem lateral é estar na Copa América, mas não só isso: ele também quer defender o Brasil na Olimpíadas.

“Deixei bem claro que quero ir para as duas competições, mas o staff aqui vai decidir”, revela. A decisão será do seu clube e Renan Lodi diz que não sabe o que vai acontecer. Mais maduro e com uma temporada de muita aprendizagem na bagagem, independente da competição na qual estiver, o Brasil estará muito bem servido com Renan Lodi.

Comentários