Olimpíadas

Olimpíada: As 10 maiores chances de medalha brasileira em Tóquio 2020

Faltando poucos dias para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, conheça os atletas com grande chances de trazer uma medalha para o Brasil

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Tóquio 2020 tem início marcado para pouco mais de 10 dias.

Tóquio 2020 tem início marcado para pouco mais de 10 dias.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 começam no dia 23 de julho e, ao todo, 206 países irão participar da competição, além do time de refugiados, totalizando mais de 11 mil competidores ao longo de 339 provas.
 
O Brasil conta com 312 atletas na delegação do torneio e listamos as 10 maiores promessas de medalhas para o país, levando em consideração o histórico dentro do ciclo olímpico, a partir dos Jogos do Rio 2016. São eles:

1º- Gabriel Medina

Medina foi o primeiro brasileiro a ser campeão mundial de surf | Imagem: Chris Hyde
Bicampeão mundial de surfe, Medina carrega um currículo de peso e honra a tradição brasileira no esporte. 
 
No Mundial de ISA (International Surfing Association), torneio obrigatório para os atletas que brigavam pela vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, o brasileiro terminou em terceiro lugar.

2º- Pâmela Rosa

Pâmela é uma das principais competidores do skate mundial na atualidade. | Imagem: Alexandre Schneider

A super talentosa Pâmela Rosa, de apenas 21 anos, já conta com título mundial no currículo. Em 2019, a paulista garantiu o 3º lugar em praticamente todas as competições e vem tendo uma ótima regularidade nos campeonatos em que disputa.

3º- Vôlei masculino

Brasil comemora o título da Liga das Nações. | Imagem: Divulgação/FIVB

A seleção brasileira de vôlei conta com jogadores experientes e campeões, acostumados a disputar títulos sem sentir a pressão da expectativa.

Chega em Tóquio com a moral alta, depois de levar o título da Liga das Nações no final de junho.

Em conversa exclusiva para a TNT Sports, o jogador Ricardo Lucarelli apontou as seleções da Polônia, França, EUA, Itália e Rússia como as principais adversárias do Brasil na busca pela medalha de ouro.

4º- Beatriz Ferreira

Beatriz Ferreira representa o Brasil no boxe. | Imagem: Buda Mendes

O boxe brasileiro vem sendo bem representado neste ciclo olímpico, com a Beatriz Ferreira. A baiana foi campeã mundial na categoria até 60kg em 2019 por unanimidade. Isto é, os cinco árbitros deram a vitória para a brasileira na decisão. 

Também em 2019, Beatriz também garantiu o único ouro do boxe no Pan-Americano de Lima e quebrou o jejum de 12 anos do país na modalidade. 

5º- Isaquias Queiroz

Isaquias vai em busca de mais medalhas olímpicas, após as três conquistas na Rio 2016. | Imagem: Nikola Krstic/MB Media

Isaquias Queiroz ganhou muito destaque na Rio 2016, com suas três medalhas de ouro, e se manteve em alto nível durante o ciclo olímpico. 

Em agosto de 2019, o baiano garantiu a medalha de ouro no Mundial de canoagem de velocidade no C1 1000m, sendo o o único competidor a terminar abaixo dos quatro minutos: 3min59s23. Também na competição, o brasileiro garantiu o bronze na categoria C2 1000m. 

6º- Dupla Martine Grael e Kahena Kunze

Mesmo com o período afastadas, a dupla está em alto nível competitivo. | Imagem: Clive Mason

Após o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, as campeãs passaram um período separadas, entre 2017 e 2018. Apesar do tempo sem treinar juntas, em 2018 a dupla retornou em alto nível, garantindo o quarto lugar no Mundial.

Ainda em 2018, Martine e Kahena ganharam o primeiro evento-teste de Tóquio 2020, o Trofeo Princesa Sofia, além do evento-teste para os Jogos Olímpicos em 2019.

7º- Ítalo Ferreira

Italo fez uma temporada incrível em 2019. | Imagem: Cameron Spencer

O surfista potiguar foi campeão da WSL 2019, maior campeonato da modalidade, e ainda ganhou a grande final em Pipeline, no Havaí, a etapa mais tradicional de todas.

Além disso, Ítalo também garantiu a primeira colocação no ISA Games contra os melhores do mundo na modalidade, dentro do formato usado na Olimpíada.

8º- Rayssa Leal

Rayssa Leal é a atleta mais jovem da delegação para Tóquio 2020. | Imagem: Sean M. Haffey

Aos 13 anos, a "Fadinha do Skate", como ficou conhecida, é uma das maiores referências do skate na modalidade street.

Em 2019, com apensa 11 anos, a maranhense garantiu a medalha de prata no Mundial disputado em São Paulo. 

Em 2021, Rayssa colocou o Brasil no pódio do Mundial de Street, na Itália, conquistando a 3ª posição.  

9º- Bruno Fratus

Bruno Fratus no Pan-Americano de Lima 2019. | Imagem: Buda Mendes

Considerada a prova mais rápida da natação, os 50m livres tem um brasileiro que é grande promessa de medalha em Tóquio 2020: Bruno Fratus. 

No Mundial de Gwangju 2019, o macaense garantiu a medalha de prata na modalidade e chegou à terceira medalha seguida em mundiais de piscina longa, se firmando como um dos nadadores mais velozes do planeta.

10º- Ana Marcela Cunha

Ana Marcela vai atrás da primeira medalha olímpica. | Imagem: Chung Sung-Jun

Em 2019, a baiana venceu cinco etapas do Circuito Mundial, terminou em segundo em outras duas, e ainda levou o título do campeonato americano. 

No mesmo ano, Ana Marcela terminou o Mundial da Coreia na quinta colocação na prova dos 10km. Ainda no Mundial, a nadadora foi ouro nos 5km e 25km, mas as distâncias não fazem parte do programa olímpico. 

Comentários