Outros Esportes

'Parça' de Ronaldinho trocou a vida de goleiro pelo futevôlei e criou jogada 'kamikaze'

Belinho Kamikaze era goleiro de futsal e queria ser profissional, mas encontrou sua paixão no futevôlei

Avatar del

Por Redação da TNT Sports

Belinho Kamikaze em seu treinamento de futevolêi(Reprodução/Instagram)

Belinho Kamikaze em seu treinamento de futevolêi | Reprodução/Instagram

O sonho de grande parte das crianças no Brasil é o mesmo: entrar em campo e defender as maiores equipes de futebol do mundo. Leonardo Oliveira, contudo, tinha tudo para ser goleiro, mas preferiu trocar os campos - ou as quadras -, pela areia.

Aos 11 anos de idade, Leonardo, que era arqueiro dos bons no futsal, resolveu testar sua habilidade no futevôlei e logo descobriu a dificuldade de adaptação.

"Minha maior dificuldade foi a peitada na bola. Além disso, aprender a movimentação correta na areia foi um grande desafio. Algo que foi difícil para mim também foi a adaptação. Por ter sido goleiro no futsal, eu não tinha tanta qualidade técnica, que é algo que o futevôlei exige bastante", comentou, em entrevista à TNT Sports, deixando claro que a troca não foi escolha fácil de fazer.


"Eu também almejava ser um goleiro profissional, e o futebol sempre foi o principal esporte do Brasil. Mas me apaixonei pelo futevôlei logo no início. Quando comecei a jogar eu senti algo diferente. Algo que me dizia que eu faria desse esporte o meu sustento de vida."


Depois de mostrar boa desenvoltura nas areias, Leonardo foi "promovido" e recebeu o apelido de "Belinho", em homenagem a Belo, um dos grandes nomes da história do futevôlei brasileiro.


"Meu apelido Belinho vem do início da minha carreira, pois falavam que eu parecia com o Belo.  Apesar disso, nunca senti essa pressão, pois assim como ele, sempre foquei em construir minha própria história e construir o meu legado no esporte. Hoje tenho a honra de treinar e conviver diariamente com ele", comentou.

Logo, Belinho recebeu um novo apelido: Kamikaze. O nome veio por conta de uma jogada que ele próprio inventou, na qual ele dá um mortal para "cortar" a bola com o pé para o outro lado da quadra. O movimento ficou conhecido nacionalmente por "kamikaze attack".


"Me sinto privilegiado por isso, pois realmente não é fácil criar uma jogada. Mas confesso que ela surgiu de forma natural. De repente, eu estava fazendo alguns ataques com um movimento parecido com um "mortal". Meus amigos logo se animaram e me convenceram de que eu teria que dar um nome para essa jogada", diz Belinho.

"Eles mesmos sugeriram o nome 'Kamikaze'. Rapidamente meus vídeos com essa jogada se espalharam pelo Brasil. Hoje, ninguém mais me conhece como Leonardo Oliveira, e sim como Belinho Kamikaze", completou.

E a convivência diária com as areias ajudou Belinho a encontrar diversos ex-craques do campos, dentre eles Adriano Imperador e Ronaldinho Gaúcho. Ambos viraram amigos pessoais do jogador de futevôlei.


"Me sinto lisonjeado. Ronaldinho e Adriano são dois ídolos brasileiros e consagrados na história do futebol. É o sonho de tanta gente conhecer os dois, e eu sou honrado em ser amigo pessoal deles. São pessoas extraordinárias que tive a honra de conhecer no esporte."

Veja um vídeo da jogada de Belinho Kamikaze abaixo:

Comentários